Política

Poder público deve parar de esperar verba federal e começar a agir, dizem vereadores

Durante a sessão desta terça-feira (15) na Câmara Municipal de Campo Grande um dos assuntos mais comentados e discutidos entre os parlamentares foi o estrago causado em Mato Grosso do Sul pelas fortes chuvas das últimas semanas. Com sete municípios em estado de emergência, inclusive a Capital, os vereadores afirmaram que o Governo Estadual e […]

Arquivo Publicado em 16/03/2011, às 11h47

None

Durante a sessão desta terça-feira (15) na Câmara Municipal de Campo Grande um dos assuntos mais comentados e discutidos entre os parlamentares foi o estrago causado em Mato Grosso do Sul pelas fortes chuvas das últimas semanas.


Com sete municípios em estado de emergência, inclusive a Capital, os vereadores afirmaram que o Governo Estadual e a Prefeitura de Campo Grande devem começar a agir. As declarações vieram depois que o governador André Puccinelli (PMDB) reclamou dos R$ 5 milhões destinados pelo Ministério da Integração Nacional ao Estado.


“Antes de ir pedir dinheiro em Brasília, tem que mostrar soluções aqui”, disparou o petista Marcos Alex. “Porque o governo e a prefeitura não falam quanto tem em caixa? e aquelas propagandas do Estado falando em mais de bilhão em caixa? tem que começar a gastar esse dinheiro, mesmo deixando investimentos para depois”, complementou o petista.


Mesmo o líder do prefeito de Campo Grande na Câmara Municipal, Flávio César (PT do B), não soube estimar quanto a cidade tem de reservas, mas garantiu que “técnicos estão avaliando todos os problemas, e os mesmos serão resolvidos”.


Já o presidente da Casa de Leis pensa diferente. Segundo Paulo Siufi (PMDB) as ações já deveriam ter sido feitas. “O prefeito fez uma ótima obra na rua Joaquim Murtinho, perto da clínica dele e da minha. É a hora de gastar, e não esperar o Governo Federal, afinal a verba recebida do IPTU ta aí”, opinou Siufi.


Um pouco mais prudente, Cristóvão Silveira (PSDB), lembra que MS teria R$ 10 milhões para receber do Ministério da Integração, referente ainda a chuvas do ano passado. Porém, ainda segundo Silveira, “Puccinelli e Nelsinho tem que viabilizar R$ 24 milhões para iniciar a reconstrução do estado”.

Jornal Midiamax