Política

Nelsinho comenta possibilidade de PMDB ficar sem candidato em Campo Grande

O prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB), admitiu em público que o nome de Edson Giroto, apontado como preferência de Puccinelli, é uma opção para 2012. Mas afirma que prefere um peemedebista.

Arquivo Publicado em 18/06/2011, às 18h23

None

O prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB), admitiu em público que o nome de Edson Giroto, apontado como preferência de Puccinelli, é uma opção para 2012. Mas afirma que prefere um peemedebista.

O prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB), comentou pela primeira vez em público a possibilidade da disputa pela sucessão dele não ter um concorrente peemedebista. Nelsinho admitiu como opção o nome do deputado federal Edson Giroto (PR), apontado como preferência do governador André Puccinelli para concorrer à principal prefeitura de MS.

“Se ele aparecer bem nas pesquisas, ele realmente poderá ser candidato”, disse na manhã deste sábado (18). Em seguida, no entanto, o prefeito emendou:  “Mas eu ainda prefiro que tenhamos um candidado do PMDB”.

Dos três principais pré-candidatos peemedebistas, Carlos Marum, Edil Albuquerque e Paulo Siufi, nenhum aceita a possibilidade de concorrer sem ter o PMDB na cabeça de chapa. Mesmo assim, é forte a mobilização para preparar terreno ao suposto candidato de Puccinelli, Giroto.

Ontem (18), o deputado estadual Londres Machado (PR) admitiu que o deputado federal do partido já é tido como candidato à prefeitura de Campo Grande. Londres ainda afirmou que Giroto conta com o apoio de outras siglas, incluindo o PMDB.

Pesquisas

Desde que começou a tomar corpo a movimentação em torno do nome de Edson Giroto, apontado como braço direito de André Puccinelli já nos tempos em que estavam na Prefeitura de Campo Grande, os peemedebistas reagem negativamente à suposta manobra do atual governador para manter a prefeitura sob controle mesmo fora do PMDB.

André citou supostos resultados de pesquisas internas para referendar o nome de Giroto, mas foi duramente questionado por Paulo Siufi e até pelo irmão de Nelsinho, deputado estadual Marcos Trad. Agora, após a manobra que tira Marisa Serrano do cenário nas eleições de 2012, indicada para vaga de conselheira no TCE-MS, o questionamento dentro do partido do governador é como a engenharia política dele incluirá o atual prefeito.

Jornal Midiamax