Política

Lupi deve continuar no cargo, diz presidente em exercício do PDT

O presidente em exercício do PDT, deputado André Figueiredo (CE), disse que o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, deverá continuar à frente da pasta. Ele se reuniu no início da tarde com Lupi. Mais cedo, o ministro esteve com a presidenta Dilma Rousseff. Após a reunião, Lupi disse a Figueiredo e a outros pedetistas que […]

Arquivo Publicado em 16/11/2011, às 22h32

None

O presidente em exercício do PDT, deputado André Figueiredo (CE), disse que o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, deverá continuar à frente da pasta. Ele se reuniu no início da tarde com Lupi. Mais cedo, o ministro esteve com a presidenta Dilma Rousseff. Após a reunião, Lupi disse a Figueiredo e a outros pedetistas que a presidenta “ratificou a confiança no seu trabalho e disse que não via nenhum motivo para substituí-lo”, disse Figueiredo.


Figueiredo informou que Lupi está tranquilo e que conta com a confiança da presidenta e com total apoio da bancada para continuar no cargo. “Confiamos plenamente que o ministro não cometeu nenhuma ilegalidade”. Segundo o pedetista, o ministro disse que amanhã (17), no Senado, vai dar todas as explicações sobre as denúncias.


Apesar da confiança do partido, Figueiredo disse que amanhã, após a audiência de Lupi no Senado, a Executiva Nacional do PDT e as bancadas na Câmara e no Senado vão se reunir para tomar uma posição sobre a situação que o ministro vem enfrentando. “Queremos saber se ele deve ou não continuar a frente do Ministério”. Figueiredo confirmou a presença de Lupi na reunião.


Perguntado se o PDT indicaria um substituto, caso o ministro deixe a pasta, Figueiredo disse que “essa é uma tese completamente impensável por parte do partido. O ministro Lupi saindo eventualmente do governo, o PDT não precisaria de indicar um substituto para ele. O que move o partido são causas, desde a época do Brizola, e temos a convicção que o Lupi desenvolveu um trabalho que deixa marcas”. Segundo o presidente do PDT, mesmo com a eventual saída de Lupi do ministério, o partido continuará na base de apoio do governo.


Hoje, a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara aprovou requerimento de convocação do ministro para prestar esclarecimentos aos deputados sobre as denúncias. A data ainda não foi marcada.

Jornal Midiamax