Embora ainda cedo, o ex-deputado federal Dagoberto Nogueira, presidente regional do PDT, disse que resta apenas “um gesto” para se firmam um pacto envolvendo seu partido, o PT e o PMDB na disputa pelo governo estadual, em 2014.

Dagoberto disse que aliança funcionaria assim: o senador Delcídio do Amaral (PT) sairia candidato ao governo, o PDT como vice e o governador André Puccinelli (PMDB) concorreria ao Senado.

Já no ano que vem na disputa pela prefeitura de Campo Grande, cada partido pensa em lançar candidatura própria, segundo Dagoberto.

Delcídio do Amaral disse que desconhece eventual acordo.

Puccinelli não disse nem que sim nem que não à proposta. Ele acha que as coligações devem ser debatidas.

O vereador Paulo Pedra, presidente do PDT, em Campo Grande, disse que “em política não se descarta as coligações”.

Já o ministro Carlos Lupi (Trabalho), que é do PDT e participa de solenidade promovida pelos pedetistas na Capital não vê problemas na composição sugerida por Dagoberto. Contudo, o ministro afirmou que a aliança de 2014 vai depender da disputa municipal em 2012.