Política

Bancada federal de MS tem dois oposicionistas e deputado de Puccinelli é incógnita

Tomam posse nesta terça-feira (1º) na Câmara Federal os oito parlamentares sul-mato-grossenses que exercerão o mandato até 2015. Apenas dois membros da bancada devem fazer oposição ao governo Dilma: Luiz Henrique Mandetta (DEM) e Reinaldo Azambuja (PSDB). Entre os partidos que representam o Estado na Câmara, não há nenhum independente – isto é, que integra […]

Arquivo Publicado em 01/02/2011, às 12h38

None

Tomam posse nesta terça-feira (1º) na Câmara Federal os oito parlamentares sul-mato-grossenses que exercerão o mandato até 2015. Apenas dois membros da bancada devem fazer oposição ao governo Dilma: Luiz Henrique Mandetta (DEM) e Reinaldo Azambuja (PSDB).


Entre os partidos que representam o Estado na Câmara, não há nenhum independente – isto é, que integra a base do governo mas não apoiou a candidatura do PT à presidência da República. PV, PP, PTB, PMN e PT do B enquadram-se neste caso.


As demais siglas ajudaram Dilma Rousseff a vencer as eleições, e por isso a presidente espera contar com a lealdade de seus partidários. Entre os sul-mato-grossenses, estão dois petistas (Vander Loubet e Antonio Carlos Biffi) e três peemedebistas (Fábio Trad, Geraldo Resende e Marçal Filho).


Já o campeão de votos Edson Giroto (PR) pertence a um partido governista, mas durante as eleições não escondia sua simpatia pelo candidato José Serra (PSDB), apoiado em Mato Grosso do Sul pelo governador reeleito André Puccinelli (PMDB), mentor político do novo deputado federal.


Procurado pela reportagem para falar de seu posicionamento em relação ao governo Dilma, Giroto não foi encontrado nem retornou as ligações.


A nova Câmara terá 46% de renovação, e 12% dos deputados são estreantes na política. Grande parte dos parlamentares são profissionais das áreas do Direito, Saúde e Educação.

Jornal Midiamax