Política

Sindicatos entram na justiça contra prefeito de Antônio João

Os dois principais sindicatos de servidores municipais de Antônio João entraram na Justiça contra o prefeito da cidade, Juneir Martinez Marques (PSDB), por não descontar os valores referentes ao quadro associativo da classe e consequentemente repassar o dinheiro às suas entidades representativas. O clima de animosidade, segundo os sindicalistas, teve início quando Marques entrou...

Arquivo Publicado em 15/12/2010, às 00h53

None

Os dois principais sindicatos de servidores municipais de Antônio João entraram na Justiça contra o prefeito da cidade, Juneir Martinez Marques (PSDB), por não descontar os valores referentes ao quadro associativo da classe e consequentemente repassar o dinheiro às suas entidades representativas.


O clima de animosidade, segundo os sindicalistas, teve início quando Marques entrou em sua segunda gestão. Eles entendem que se trata de um artifício da administração municipal para enfraquecer os sindicatos, que vêm lutando por melhorias salariais.


No início de 2008 Junei Marques suspendeu os descontos autorizados das contribuições dos servidores para repasse ao Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) e ao Sindimaj (Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Antônio João).


Na ocasião, o Simted ingressou com uma ação na justiça para rever seus direitos e obteve liminar favorável após três meses. A decisão obrigava o prefeito a fazer o desconto e repassar os valores ao sindicato, mas a entidade acusa Juneir Marques de não acatar a liminar.


A decisão judicial previa multa de R$ 5 mil por dia em caso de descumprimento do mandado. O Executivo, segundo o Simted, deixou de obedecer a decisão da Justiça e estaria acumulando multas no valor total de R$ 40 mil, já concluída a decisão final do processo.


Agora foi a vez do Sindimaj também procurar a Justiça contra a suspensão do desconto da contribuição dos sócios, que ocorre há três meses. “Isso está causando um sério transtorno à nossa entidade, por isso fomos obrigados a buscar os meios jurídicos”, disse o presidente, João Orzeni Martins.


Ele também quer que os descontos já autorizados pelos servidores voltem a ser feitos e aguarda para esta semana um desfecho para o caso. “Acreditamos no Judiciário e também que ainda estejamos vivendo num país democrático”, afirma.


A reportagem tentou entrar em contato há pouco com o prefeito Juneir Marques para ouvir sua versão sobre o conflito com os sindicatos, mas ninguém atendeu ao telefone na prefeitura. Desde 16 de dezembro Marques decretou ‘férias’ no Paço Municipal e os funcionários que fazem plantão atendem ao público pelos fundos.

Jornal Midiamax