O trânsito de Campo Grande deixou três motociclistas mortos em pouco mais de 48 horas entre segunda-feira (9) e quarta-feira (10). A Polícia Civil conseguiu identificar apenas duas das vítimas, enquanto o homem que morreu no primeiro dia da semana segue um mistério.

Essa vítima ainda sem identificação morreu após ser atingido por um motorista no cruzamento da Rua Rui Barbosa com a Rua Dolor Ferreira de Andrade. O Corpo de Bombeiros socorreu o homem com fratura de fêmur e trauma de face, além de reanimá-lo depois de sofrer uma parada cardíaca. 

Os semáforos na região estavam desligados. Pelas imagens de câmeras de segurança é possível ver quando o carro cruza a rua, e o motociclista atinge a lateral do carro ‘voando’ por cima do veículo.

A identidade dele segue um mistério, mas algumas informações que podem ajudar no caso foram esclarecidas, como, por exemplo, que a motocicleta envolvida no acidente havia sido furtada no dia 13 de junho no bairro Universitário.

Dois acidentes em 1 dia

A quarta-feira foi o dia mais violento dessas 48 horas, com o registro de dois acidentes, sendo um em cada período do dia. Nas primeiras horas da manhã, o motociclista José Carlos Miquilino, de 43 anos, morreu ao bater na traseira de um caminhão que havia acabado de estacionar na Avenida Guaicurus.

José seguia pela avenida, quando bateu na traseira do caminhão que estava parando para o motorista descarregar carga de argamassa em uma loja de materiais de construção.

Wanderlei Taz, 49 anos, conta que quando sentiu a pancada na traseira do caminhão pensou que era um carro que havia colidido, mas ao sair da carreta viu o motociclista no chão e a moto em cima da vítima. “Foi instantâneo”, disse ele.

(Nathalia Alcântara, Jornal Midiamax)

Já no período da tarde, Roberto da Silva dos Santos, 20 anos, morreu ao tentar ultrapassar um caminhão-caçamba no cruzamento das ruas Senador Filinto Muller com Francisco dos Anjos, na Vila Ipiranga.

Os veículos trafegavam na Rua Filinto Muller, sentido Centro, quando o motociclista teria tentado ultrapassar o caminhão para acessar a Francisco dos Anjos. Porém, o motociclista não conseguiu realizar a ultrapassagem e teve a lateral da moto atingida pelo caminhão, momento em que acabou sendo atropelado.

Devido ao atropelamento, o motociclista sofreu politraumatismo e TCE (Traumatismo Craniano Encefálico), morrendo no local. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) compareceu ao local para socorrê-lo, mas Roberto já estava morto quando chegaram.

Motorista do caminhão tem 42 anos. (Foto: Lucas Caxito, Jornal Midiamax)

Alta velocidade

A Polícia ainda investiga o caso dos três motociclistas que morreram em acidentes de trânsito, especialmente no quesito alta velocidade.

A Perícia constatou alta velocidade apenas na morte do motociclista sem identificação. Câmeras de segurança registraram o acidente e, segundo o boletim de ocorrência, a perícia apontou que a motocicleta Honda Fan estava com velocidade acima do permitido na via e que o motociclista não observou que os semáforos estavam desligados. 

No caso de José Carlos Miquilino, testemunhas apontaram que o motociclista estaria em alta velocidade.