Polícia / Trânsito

Seguradora de caminhão tem 3 dias para dar novo carro a motorista de Corsa esmagado

Juizado de trânsito compareceu no local do acidente e motoristas fizeram acordo

Danielle Errobidarte e Dayene Paz Publicado em 22/04/2021, às 14h00

Carro teve perda total.
Carro teve perda total. - (Foto: Henrique Arakaki)

A seguradora responsável pelo caminhão Iveco carregado de produtos de limpeza que ‘esmagou’ um Chevrolet Corsa na manhã desta quinta-feira (22), no Bairro Guanandi, tem três dias para fornecer um novo carro para o motorista – um vendedor de salgados que utiliza o veículo para trabalhar.

Conforme apurado pelo Jornal Midiamax, o Juizado de Trânsito e a Polícia Militar de Trânsito compareceram no local. Contudo, não foi possível determinar a falha que fez com que o veículo descesse desgovernado a Rua Valparaíso e atingisse o Corsa, estacionado logo atrás.

Os dois motoristas fizeram a mediação e ficou decidido que a seguradora tem que fornecer um novo carro, de valor igual ao destruído, para o ambulante. O Corsa teve perda total e foi transferido para o nome da seguradora, para que ela possa fornecer um novo e, assim, fazer uma “troca”.

O salgadeiro, de 36 anos, disse à reportagem que utiliza o dinheiro arrecadado na venda dos salgados para arcar com os custos do curso preparatório que faz para uma prova de concurso público. Ele vende os alimentos há dois anos no mesmo local e chega sempre por volta das 6h45.

Nesta quinta (22) estava parado atrás de seu veículo com o porta-malas aberto fazendo suas vendas quando viu o vulto do caminhão, "não dava tempo de ligar o carro, só sai do meio correndo", disse o homem que ainda comentou não saber se ficava mais aliviado ou triste por causa do carro.

O motorista do caminhão de 55 anos contou que estava fora do veículo já que havia parado para descarregar uma carga de produtos de limpeza, e que ao tentar abrir a porta e não conseguir percebeu que o caminhão começou a descer a rua e passou a correr ao lado da carreta, e quando viu o dono do Corsa correndo ficou mais aliviado por saber que não tinha ninguém no carro. Segundo o caminhoneiro, ele não sabe o que aconteceu, já que o veículo estava com o ferio acionado.  

Jornal Midiamax