Polícia / Trânsito

Falta de acessibilidade e uso de vaga para deficientes revoltam campo-grandenses

‘Calçada virou rua’ diz leitora

Wendy Tonhati Publicado em 25/10/2016, às 14h19

None
b7b0f1b0-0cbe-4a9c-84b4-1f527cceeb4d.jpg

‘Calçada virou rua’ diz leitora

Mesmo com campanhas educativas e até a possibilidade de multa, muita gente ainda não respeita a acessibilidade nas calçadas das vias públicas e as vagas destinadas a idosos e deficientes. 

Na manhã desta terça-feira (25), duas leitoras do Jornal Midiamax registraram situações de falta de respeito nas ruas de Campo Grande. 

“Como falar em acessibilidade, quando as pessoas utilizam calçadas para fazer oficina mecânica? 
A mobilidade das pessoas fica prejudicada, pois estas, devem utilizar a rua para a travessia. A calçada virou rua e a rua virou calçada”, diz uma moradora do Coophatrabalho.

Segundo a leitora, a calçada da Avenida Florestal com a Rua Canjerana  está sendo ocupada para a realização de serviços de oficina. 

Carro de empresa em uma vaga para deficiente (Via WhatsApp)Outra leitora encaminhou foto do estacionamento de um supermercado. Ela viu o carro de uma concessionária estacionado na vaga destinada a deficiente e questionou o motorista. Porém, afirma que ainda foi hostilizada. “Falei para o responsável e ele ainda quis ter razão”, diz. 

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, estacionar na calçada é infração grave e passível de multa no valor de R$ 127,69.

Já estacionar em vagas para idosos ou deficientes também é infração grave e passará a ser gravíssima no próximo mês. A multa será de custar R$ 293,47 com remoção do veículo. 

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 9207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax