Polícia / Trânsito

Ampliação da ‘Zona Azul’ terá cobrança em mais mil vagas no centro de Dourados

Estacionamento rotativo será pago na frente do shopping

Midiamax Publicado em 12/11/2016, às 13h13

None
rotativo_ok.jpg

Estacionamento rotativo será pago na frente do shopping

Quem trafega pelo centro de Dourados, município distante 228 quilômetros de Campo Grande, já consegue ver os enfeites que a prefeitura tem instalado para as comemorações de fim de ano. Os mais desavisados talvez não tenham percebido é que, meio a esse trabalho, foram feitas pinturas de sinalização horizontal para delimitar mais 1 mil vagas nas quais o estacionamento rotativo precisará ser pago até o Natal. Atualmente, as cobranças já são feitas sem 1.216 áreas.

Essa iniciativa é da EXP Parking, concessionária que venceu a licitação para explorar a Zona Azul pelos próximos 10 anos na cidade. O estacionamento rotativo será cobrado no trecho da Rua Melvin Jones (cem metros além do limite atual, que fica na esquina do Edifício Adelina Rigotti) à Rua Isidoro Pedroso (em frente ao Terminal Rodoviário), entre a Rua Joaquim Teixeira Alves e a Avenida Weimar Torres, bem como em todas as vias transversais nesse trecho.

Essas novas áreas de cobrança constam no edital de licitação 005/2015 e seguem as leis municipais número 3.515/11 e número 3.659/13, aprovadas, respectivamente, em 2011 e 2013 pela Câmara de Vereadores. No contrato firmado entre o município e a concessionária, existe a previsão de cobrança do estacionamento rotativo em quase todo o centro da cidade até junho de 2017.

Diretor de Relações Institucionais da EXP Parking, Sérgio Iran Soares explica que a ampliação da Zona Azul está de acordo com os termos estabelecidos no contrato. “Primeiro foi feito um termo de referência, estudo técnico, e a partir disso se previu uma quantidade de vagas e as fases de implantação. Está sendo cumprido. Hoje estamos com 1.216 vagas e a previsão é que nessa segunda etapa consigamos mais mil vagas”, informou.

Segundo o executivo, a intenção é garantir maior rotatividade de veículos estacionados em frente ao comércio durante o período de fim de ano, quando as vendas são mais intensas. “Nós começamos a parte de sinalização viária horizontal e logo na sequência faremos a sinalização vertical. A intenção é entregar mais mil vagas até o Natal”, revelou.

Nas novas vagas, regras e mecanismos de cobranças serão as mesmas aplicadas atualmente (parada pelo tempo máximo de 2 horas ao custo de R$ 4,00 com cobrança fracionada a cada cinco minutos, no mínimo). Esses termos, por sinal, só foram definidos após acordo firmado com o MPE (Ministério Público Estadual), que chegou a mover uma ação contra a empresa concessionária e obter a suspensão das cobranças por mais de um mês mediante decisão judicial.

“Esses impasses foram superados através de um acordo com o Ministério Público com esse sistema de fracionamento que trouxe benefícios para os usuários”, afirma Soares. O diretor de Relações Institucionais da EXP Parking garante que desde então o sistema tem funcionado com tranquilidade. “Antes da implantação tinha veículo parado durante longo período, um espaço público monopolizado por poucos. A rotatividade aumentou muito. Numa proporção hoje, você teria uma vaga utilizada por no máximo dois cidadãos, agora é utilizada por cinco ou seis”, pontua.

Embora já exista previsão legal para cobrança do estacionamento rotativo para motos, uma vez que a Câmara de Vereadores aprovou lei com essa autorização ainda em 2011, o representante da EXP Parking afirma que ainda não há sequer previsão de quando essas cobranças terão início.

Jornal Midiamax