Polícia / Trânsito

IML libera quatro corpos e sete vítimas de acidente com van serão identificadas pelo DNA

Parentes forneceram material genético para os exames, que serão feitos em Campo Grande. Os corpos foram carbonizados e pelo DNA será possível identificar os mortos no acidente com a van que seguia para compras no Paraguai.

Arquivo Publicado em 18/12/2013, às 12h29

None
153301593.jpg

Parentes forneceram material genético para os exames, que serão feitos em Campo Grande. Os corpos foram carbonizados e pelo DNA será possível identificar os mortos no acidente com a van que seguia para compras no Paraguai.

Familiares das vítimas do acidente ocorrido na manhã desta terça-feira (17), que saíram de Três Lagoas e foram até Nova Andradina acompanhar o trabalho da perícia e liberação de alguns corpos, retornaram para sua cidade por volta das 17h. Além do luto, as famílias deixaram a cidade em clima de desolação, uma vez que, apenas quatro corpos foram liberados pelo Instituto Médico Legal (IML), sendo três daquela cidade e um de Dourados.


As vítimas liberadas para as famílias são: Miguel Benites (motorista da carreta), de Dourados; e, de Três Lagoas, Fabiano Bastos Malaquias (motorista da van e responsável pela excursão); Adilson Rodrigues Souza e Antônio Pereira Carneiro, estes dois últimos passageiros da van. De acordo com proprietário do veículo, Fabiano Bastos locou a van em Três Lagoas e se dirigia com lojistas para a cidade de Ponta Porã, onde fariam compras de Natal.


Em Nova Andradina, parentes de primeiro grau forneceram material genético para realização de exame de DNA na tentativa de identificar as demais vítimas. As amostras serão analisadas em Campo Grande e a previsão é de os resultados saiam em uma semana. As famílias se programaram para viajar à Capital nesta quarta-feira (18) para acompanhar o início da possível liberação dos demais corpos.


Segundo os responsáveis pelo IML de Nova Andradina, a grande dificuldade é que, devido ao fato de os veículos pegarem fogo, alguns corpos foram calcificados, ou seja, transformados em cinzas, o que dificulta a identificação. A gravidade do acidente foi tão expressiva que o número de corpos encontrados não confere com o total de restos mortais localizados. Pelo menos três corpos não teriam sido visualizados no local do acidente.


Solidariedade


A cerca de 50 pessoas que vieram de Três lagoas foram recebidas por voluntários da Paróquia Imaculado Coração de Maria e por grupos das Igreja Adventista do Sétimo Dia, Assembléia de Deus, Casa do Migrante, Secretaria Municipal de Assistência Social, Secretaria Municipal de Saúde e Corpo de Bombeiros.


Empresas de Nova Andradina, além da Câmara Municipal, fizeram doações de água mineral, refrigerantes e lanches para as famílias que estavam no local à espera de informações.

Jornal Midiamax