Polícia / Trânsito

Agência nuclear da ONU diz que acidente no Japão é “gravíssimo”

Começou uma corrida contra o tempo para resfriar os reatores da central nuclear de Fukushima, anunciou nesta sexta-feira (18) o diretor geral da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica), Yukiya Amano. Ao sair da reunião com o primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, Amano afirmou que o acidente é “gravíssimo”. É muito importante que a comunidade […]

Arquivo Publicado em 18/03/2011, às 11h05

None

Começou uma corrida contra o tempo para resfriar os reatores da central nuclear de Fukushima, anunciou nesta sexta-feira (18) o diretor geral da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica), Yukiya Amano. Ao sair da reunião com o primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, Amano afirmou que o acidente é “gravíssimo”.

É muito importante que a comunidade internacional, incluindo a AIEA, participe na questão de forma conjunta. O resfriamento é extremamente importante, acredito que se trata de uma corrida contra o tempo.

Ao desembarcar no país, Amano disse que a AIEA medirá o nível de radioatividade em Tóquio a partir desta sexta-feira para tranquilizar a população.

O sistema de resfriamento dos reatores foi danificado durante o terremoto e tsunami que atingiu o país na última sexta-feira (11), mergulhando o país em uma crise nuclear. Mais de 200 mil pessoas foram retiradas do raio de 20 km em torno da usina. O acidente nuclear ocorreu após o forte tremor de 9 graus, seguido de um devastador tsunami, há uma semana.

Todos os seis reatores de Fukushima 1 apresentaram problemas, sendo que três tiveram colapsos parciais. Os outros três tiveram superaquecimento.

A autoridades do Japão e dos EUA acreditam que o perigo mair está nas piscinas usadas para armazenar combustível nuclear usado.

Jornal Midiamax