Após a morte de Sérgio Alves dos Santos, de 50 anos, em confronto com a Polícia Civil no bairro Alves Pereira, em Campo Grande, na manhã desta terça-feira (25), a Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos) está investigando três roubos violentos na Capital. 

Sérgio era condenado por roubo a um mercado ocorrido em fevereiro de 2015, no bairro Campo Nobre, e estava foragido da Justiça. Há 10 dias, a polícia estava investigando criminosos que praticavam roubos com violência, e apurou que Sérgio era um dos autores.

Ao Jornal Midiamax, o delegado Edgar Punsky, da Derf, explicou que três criminosos estão sendo investigados por outros roubos violentos, empregados da mesma forma que Sérgio agia. Os criminosos seriam indivíduos que roubam para possivelmente alimentar o vício em drogas. 

Conforme o delegado, Sérgio ia para frente de agências bancárias e escolhia as vítimas, principalmente idosos, para roubar. Os roubos eram praticados em via pública e geralmente na região Sul de Campo Grande. 

Sérgio era condenado a 10 anos e oito meses de prisão por um roubo cometido no dia 24 de fevereiro de 2015. Conforme denúncia do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), ele e um comparsa roubaram R$ 1,3 mil de um mercado no bairro Campo Nobre, sob grave ameaça com auxílio de uma arma de fogo. 

Na época, Sérgio efetuou um disparo de arma de fogo em via pública, mais precisamente, de um revólver, calibre 38. Ele e o comparsa adentraram no estabelecimento, anunciaram o assalto, roubaram o dinheiro e fugiram em uma motocicleta. 

Sérgio estava na garupa da moto e efetuou o disparo. Ainda conforme a denúncia, para não ser atingida, a vítima se abaixou e teve seu veículo colidido contra a moto, fazendo com que os criminosos caíssem no chão. O comparsa fugiu, enquanto Sérgio foi preso. 

Em junho de 2015, Sérgio foi condenado a 10 anos e 8 meses e ao pagamento de 333 dias-multa, devendo cumprir a pena em regime fechado. 

Já em março de 2024, foi expedido um mandado de intimação para pagamento de multa em nome de Sérgio devido a esse assalto. A multa, conforme o processo, estava no valor de R$ 1.048,47 e dizia que Sérgio estava encarcerado no Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho, Presídio de Segurança Máxima. 

Confronto

Nesta terça, os policiais foram até a casa de Sérgio, que era conhecido como ‘Tatuagem’, ‘Louco’ ou ‘Velho’, sendo feita uma tentativa de abordagem, mas ele teria resistido e atirado contra os policiais que revidaram. Ele foi atingido por dois tiros no peito.

Sérgio tinha passagens por roubo, tráfico e furto. No matagal que há na região funcionaria uma espécie de boca de fumo. Uma moradora reclamou da situação do alto número de usuários de drogas. “Está difícil ficar de porta aberta até de dia”, disse a moradora.