Um dos três tiros disparados contra Gabriel Soriano da Silva, de 27 anos, pai que morreu com dois tiros ao entrar na frente para salvar o filho, de 3 anos, por 30 centímetros não atingiu a criança, no bairro Santa Emília, em Campo Grande, na tarde de quinta-feira (26). O tiro atingiu o vidro da porta traseira do carro, onde a criança estava sentada na cadeirinha no momento do crime.

“Por 30 centímetros teria acertado a cabeça dele”, afirmou o Delegado Camilo Kettenhuber, da 6ª Delegacia de Polícia Civil, responsável pelo caso. Ele também disse à equipe de reportagem que a criança e a mãe (esposa de Gabriel) serão encaminhadas ao Projeto Acolhida, que tem como objetivo auxiliar familiares de vítimas de feminicídio e homicídios dolosos.

Até o momento, muitas testemunhas importantes para o caso foram ouvidas e o delegado disse que na próxima semana deve ter um desfecho sobre o inquérito policial. 

E ainda, ao indagar a criança sobre o machucado que ficou em sua perna, atingida por estilhaços de vidro, o delegado revelou que o menino respondeu: “ah, foi o tio que fez”. Por ter presenciado o crime e ter noção do ocorrido, ele receberá atendimento psicológico.

O delegado ainda falou que a localização do autor dos disparos é incerta, mas a defesa já manifestou interesse em apresentá-lo à polícia. A investigação continua. 

Velório marcado por comoção 

Amigos e parentes compareceram ao velório de Gabriel, que aconteceu no Cemitério Park Monte das Oliveiras, na Avenida Guaicurus, na tarde desta sexta-feira (27). Em meio ao momento de dor e tristeza, os familiares pediram privacidade e prestaram as últimas homenagens ao rapaz.

Viaturas do Corpo de Bombeiros também compareceram ao velório, onde prestaram suas condolências, já que um dos familiares de Gabriel integra a equipe.

Assassinato

Gabriel morreu horas depois de ser atingido por três disparos de arma de fogo. Os tiros atingiram a região do tórax. Pouco antes, a mulher da vítima havia discutido com o ex-companheiro dela e a atual esposa dele, com quem havia se encontrado por acaso na USF (Unidade de Saúde da Família) Jeferson Rodrigues de Souza.

A discussão entre o trio teria começado após provocações entre eles, que discutiam, também, sobre a guarda da menina, de 9 anos, filha do suspeito e da mulher da vítima. Após o desentendimento dentro da unidade de saúde, o casal saiu e retornou logo em seguida, quando ocorreu o crime.

De acordo com o delegado Camilo, Gabriel foi baleado após uma discussão com o autor, que parou o carro ao lado do veículo onde Gabriel estava com o filho, de apenas 3 anos. O suspeito teria mostrado a arma para a vítima, os dois começaram a discutir, Gabriel desceu do carro e foi atingido pelos disparos.

(Henrique Arakaki, Jornal Midiamax)

O autor dos tiros deve se apresentar a polícia na próxima segunda-feira (30), segundo revelou a defesa ao Jornal Midiamax