Um entregador procurou a alegando ter sido agredido por GCMs (Guardas Civis Metropolitanos) durante abordagem na Avenida Lúdio Martins Coelho, na quinta-feira (11), em Campo Grande. Ele afirma que um dos guardas jogaram seu celular no chão e tela quebrou.

Conforme o boletim de ocorrência, o motorista teria parado carro, modelo Kangoo, e estacionado para atualizar o GPS no aparelho celular quando foi surpreendido por três Guardas Municipais que estavam em motocicletas.

Segundo registro, os Guardas o questionaram se ele estava fugindo de blitz e foi ordenado a sair do carro. O rapaz afirma que foi agredido na costela por dois dos guardas com cano de arma de fogo. Um deles teria jogado o celular do entregador no chão.

O rapaz disse em depoimento na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) no Centro que procurou a corregedoria da e que foi orientado a fazer o boletim de ocorrência. A reportagem procurou a assessoria de comunicação da GCM e em retorno, disse estar apurando o ocorrido.

A Guarda Civil Metropolitana trabalha dentro da legalidade sempre respeitando os princípios éticos e morais. Casos que ocorrem fora desses princípios contra alguma pessoa, essa tem o direito e o dever em procurar a ouvidoria ou corregedoria da Guarda Civil Metropolitana. O procedimento administrativo é instaurado para apurar toda e qualquer conduta dos servidores que agem fora dos princípios legais da instituição. A Sesdes faz abertura de um PAD pela corregedoria para averiguar todas as circunstâncias, mas reiteramos que a Guarda age sempre em benefício e proteção do cidadão campo-grandense dentro da legalidade“, disse.