Cliente de supermercado de bairro de foi ameaçada de diversas formas pelo dono do estabelecimento, após notar que a vendida pelo local estava estragada, além de encontrar vários produtos com o prazo de validade vencido. O fato aconteceu em março, mas só foi denunciado à polícia neste sábado (13) após novas ameaças.

A vítima relata que, ao retirar a carne da embalagem, percebeu que estava com mau cheiro. Ela também decidiu olhar a validade do iogurte e descobriu que o laticínio estava vencido. A situação aconteceu em março.

Após constatar os produtos estragados, a consumidora tentou realizar a troca no mercado do bairro, sendo que, ao conversar com açougueiro para reclamar, ele acionou o proprietário do mercado, que chegou ao local e não quis realizar a troca.

Em seguida, conforme o boletim de ocorrência, o dono do comércio ainda pegou a nota fiscal de suas mãos e não a devolveu mais. A vítima, por sua vez, acionou a e relatou o acontecido. A vigilância então foi até o mercado verificar a situação no dia 28 de março, onde encontrou vários produtos com data de validade vencida e em condições inapropriadas para consumo.

A mulher relata ainda que, após reclamar da carne estragada, passou a receber ameaças do proprietário do local, que chegou a dizer que se ela acionasse a Decon (Delegacia do Consumidor) ou a Vigilância Sanitária, ele iria entrar em sua residência e “meter bala”.

Ainda conforme o registro policial, o dono do mercado também disse à vítima que sabe onde o filho dela estuda e que ela deveria “pensar bem” antes de acionar a vigilância, pois o garoto poderia sumir da escola. Por fim, o proprietário ainda teria dito que se a Vigilância Sanitária ficar em “seu pé”, iria entrar na residência da vítima e retirá-la à força.

Depois disso tudo, a vítima relata que o pai de seu filho escutou o barulho de pedra batendo no portão e saiu para verificar, quando viu que um dos funcionários do proprietário do mercado se escondeu atrás da porta do estabelecimento.

Ela também informa à polícia que jogaram uma pedra na madrugada deste sábado (13) no portão de sua residência, sem danos aparentes. A moradora de Campo Grande teme por sua integridade física e de seu filho. O caso foi registrado na como ameaça.