Paulo de Oliveira Andrade de, 34 anos, foi condenado a 17 anos de prisão, durante julgamento realizado na 2ª Vara do Tribunal do nesta sexta-feira (22). Ele é acusado de matar Márcio Pereira Valdez , dentro de um , em dezembro de 2022. Na época, ele confessou que receberia R$ 5 mil pelo assassinato.

A sentença foi proferida pelo Juiz da 2 Vara do Tribunal do Júri, Aluizio Pereira dos Santos, a defesa pediu absolvição genérica, exclusão das qualificadoras e o reconhecimento de tiro acidental. Por maioria dos votos, o Conselho de Sentença afastou a qualificadora de motivo torpe. Paulo foi condenado a 17 anos de prisão em regime fechado.

Assassinato

O crime aconteceu na manhã do dia 13 de dezembro de 2022, na Avenida Marechal Deodoro, em . A vítima era passageira de um ônibus que seguia em direção a Ponta Porã. O acusado entrou no veículo e matou Marcio com um tiro no tórax.

O autor foi preso em flagrante por policiais à paisana. Ele portava uma pistola .380 que foi apreendida. Conforme as investigações, ele admitiu que receberia R$ 5 mil pelo assassinato.

A vítima, que estava com documento falso, tinha passagem pela polícia. Ele foi preso em abril deste ano, no Paraguai, por participar de assalto a um policial militar. Na ocasião, o militar teve a de fogo e a caminhonete roubadas pelos bandidos.

Ligação com PCC

O acusado é apontado como uma das lideranças do PCC (Primeiro Comando da Capital) e teria como codinomes “Fanático” e “Paulinho”. Ele era considerado ainda “Jet Geral da Máxima” e foi condenado a 5 anos e 14 dias por organização criminosa.