Suspeitos de assassinarem Rikelmy no Aero Rancho se apresentam à polícia e negam crime

Jovens ainda disseram que são amigos da vítima
| 23/05/2022
- 17:07
Suspeitos de assassinarem Rikelmy no Aero Rancho se apresentam à polícia e negam crime
Dupla se apresentou com advogados (Foto: Marcos Tenório)

Na tarde desta segunda-feira (23), dois jovens de 18 e 20 anos se apresentaram na 5ª Delegacia de de Campo Grande, após serem apontados como suspeitos do assassinato de Rikelmy Lorran Figueireido Toguicioli, de 22 anos. O rapaz foi executado no sábado (21), no Aero Rancho.

Os jovens foram até a acompanhados dos advogados Paulo Miguel e Paulo Macena. A defesa esclareceu que os jovens negam qualquer participação no crime e que estavam em casa no momento do assassinato de Rikelmy. Além disso, falaram que são amigos da vítima.

Outra alegação é de que a dupla teria inimizades no bairro. Por isso, após o crime estas pessoas estariam vinculando a imagem dos jovens como os assassinos de Rikelmy. Nas redes sociais, fotos deles são divulgadas como autores do assassinato.

Ao Midiamax, os advogados esclareceram ainda que não há imagens que comprovem que os jovens são autores do crime e nem elementos suficientes. Mesmo assim, pelas acusações feitas nas redes, eles preferiram se apresentar e esclarecer os fatos.

A Polícia Civil ouve testemunhas e também tem alguns suspeitos dos crimes. Os jovens não foram intimados e se apresentaram espontaneamente.

Morte de Rikelmy foi filmada

Rikelmy foi morto a tiros
(Reprodução)

Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que Rikelmy corre depois de ser ferido a tiros por uma dupla em uma motocicleta, em Campo Grande. Ele estava em uma festa de aniversário quando aconteceu o crime.

Pelas imagens é possível ver quando Rikelmy atravessa um campo de futebol correndo. Ele tenta se esconder atrás de carros estacionados, mas acaba caindo no chão morrendo antes da chegada do socorro. Após cair no chão, a dupla na moto passa ao lado do corpo, fugindo em seguida.

Autor teria recebido R$ 1.500 para matar

O assassino de Rikelmy teria recebido R$ 1.500 para cometer o crime. Segundo informações apuradas pelo Jornal Midiamax, o crime teria sido cometido por um ‘amigo’ da vítima. O assassinato teria sido motivado por uma foto que a vítima tirou em que aparece uma mulher ao fundo. Rikelmy havia voltado de Santa Catarina há três dias.

O rapaz tinha três passagens pela polícia como menor infrator, de lesão corporal, roubo majorado pelo emprego de arma e porte droga para consumo pessoal. Ele não tem nenhuma passagem depois que completou 18 anos.

A execução

Rikelmy estava em uma casa de festas na rua Gerbera, comemorando o aniversário de um amigo, segundo relatos de amigos que estavam no local, ele teria sido chamado para fora, mas não disse nada e ninguém teria acompanhado ele. "Só ouvimos os disparos", relata uma amiga.

Após sair da festa, Rikelmy foi até a casa dos avós, em seguida duas pessoas que estavam em uma motocicleta Honda Biz branca teriam se aproximado dele e efetuado vários disparos. A vítima — que estaria no momento dos disparos na Rua Arquiteto Vila Nova Artigas, em frente ao campo de futebol do bairro — correu já baleado em direção ao local onde estava ocorrendo a festa, mas devido aos ferimentos acabou caindo no meio da rua antes de chegar ao local.

Os atiradores ainda passaram com a motocicleta ao lado da vítima caída no chão. O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas antes de chegar ao local a vítima já estava sem vida. Conforme o boletim de ocorrência, Rikelmy foi atingido por seis disparos de arma de fogo. A perícia foi até o local e recolheu 8 cápsulas de pistola 9 mm.

Veja também

Motorista ultrapassou semáforo vermelho e atingiu outro carro na esquina com a Rui Barbosa

Últimas notícias