Preso, PM acusa colega de farda de ter ajudado a esposa dele durante contrabandos em MS

O policial preso ganhou liberdade provisória
| 15/02/2022
- 13:47
Preso, PM acusa colega de farda de ter ajudado a esposa dele durante contrabandos em MS
(Arquivo)

O policial militar preso no fim de semana por agredir um colega de farda em uma lanchonete, após uma briga envolvendo a sua esposa, acabou acusando o colega de farda de também fazer contrabando. Ele  ganhou a liberdade nesta terça-feira (15), e o caso está sendo apurado pela Corregedoria.

O policial preso disse em depoimento que, ao chegar à lanchonete, viu o colega de farda e o chamou para fora para conversarem sobre a desavença. O militar ainda disse que como o colega é maior que ele, agiu primeiro dando um tapa na vítima, que revidou.

Ainda segundo o policial, o colega de farda também buscaria mercadorias no e ambos passavam informações sobre o policiamento na rodovia. Conforme o relato, o militar seria parceiro da mulher que prendeu por descaminho. 

A mulher pivô da briga já havia sido detida por duas vezes em 2020, com mercadorias contrabandeadas do Paraguai, avaliadas nas duas detenções em R$ 120 mil. A primeira vez que foi detida, no dia 13 de maio de 2020, ela estava em um  Ford Edge, na rodovia MS-060 e na companhia de outra pessoa. Quando abordada na saída de Sidrolândia, os policiais encontraram grande quantidade de produtos de eletrônica, como games. Não havia notas dos produtos comprados no Paraguai. 

Segundo relatos da mulher, a mercadoria seria comercializada em Campo Grande. No total, foram apreendidos R$ 90.667 mil em mercadorias. Já a segunda vez que a mulher foi detida ocorreu em agosto do mesmo ano, com R$ 30 mil em produtos de informática que comprou em Ponta Porã.

Os produtos seriam levados para São Paulo e para Campo Grande. No dia de sua detenção, ela relatou ter conhecimento de que o material entrou de forma ilícita no país.

O policial atacado na lanchonete, na noite de domingo (13), pela mulher do colega de farda contou que ela teria dito no estabelecimento: “Minha prisão não vai ficar assim, um dia vamos resolver isso, conheço um pessoal no Paraguai”.

Veja também

Últimas notícias