Polícia ‘vasculha’ sete empresas ligadas à ‘Cabeça Branca” na fronteira de MS

Durante a ação policial em uma casa de câmbio de Pedro Juan Caballero, houve reclamação por parte de um dos advogados de defesa
| 03/02/2022
- 16:05
Agentes da Senad
Agentes da Senad, durante análise de documentos de empresas paraguaias investigadas - Divulgação

Um dos alvos da operação deflagrada pela Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) e pela Polícia Federal do Brasil, a cidade de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, teve sete empresas ‘vasculhadas’ durante a manhã desta quinta-feira (3).

A ação, que envolveu agentes do Brasil e também do , tem como finalidade desmantelar a organização criminosa que lava dinheiro do narcotráfico, entre outros crimes, e que movimentou cerca de US$ 2 milhões somente no Paraguai e cerca de 4 bilhões de reais no Brasil. 

Conforme a chefe da Senad, Zully Rolón, o trabalho foi feito em conjunto com a Polícia Federal brasileira, a Secretaria de Prevenção à Lavagem de Dinheiro ou de Ativos, o Ministério Público e a Secretaria Nacional Antidrogas.

“Segundo a Polícia Federal, essas sete pessoas visadas movimentaram até US$ 2 milhões e retiraram o dinheiro em Ciudad del Este e Pedro Juan Caballero, fruto de ações do tráfico de drogas e do tráfico de armas”, disse a ministra Zully Rolón.

Durante a ação policial em uma casa de câmbio de Pedro Juan Caballero, houve reclamação por parte de um dos advogados de defesa, contra o promotor paraguaio Carlos Alcaraz, que acompanhava o procedimento.

Veja também

As mercadorias e o veículo foram apreendidos e encaminhados a Receita Federal

Últimas notícias