OAB/MS vai apurar caso de injúria racial contra haitiano no Centro de Campo Grande

Vítima procurou a delegacia
| 19/02/2022
- 14:47
Caso foi registrado pela vítima na Depac Centro
Caso foi registrado pela vítima na Depac Centro - (Arquivo, Midiamax)

Após episódio de injúria racial e violência arbitrária sofrida por um haitiano, de 36 anos, na tarde de sexta-feira (18), a OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional ) anunciou que vai acompanhar as investigações. A vítima alega que foi agredida por homens que seriam guardas municipais na Praça Ary Coelho.

Conforme nota, a OAB deve acompanhar as investigações do caso, cobrando devida apuração, por meio da Comissão de e de Igualdade Racial. A denúncia foi feita pela vítima ainda na sexta-feira, na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro.

Segundo relato do haitiano, ele tinha acabado de sair do trabalho e descansava na praça, quando 5 homens se aproximaram. Ele afirma que os suspeitos aparentavam ser guardas municipais e teriam puxado a vítima, perguntando o nome.

Os homens passaram a agredir com socos e chutes a vítima, que ainda foi injuriada. “Cala a boca negão, filho de escravo, aqui é Brasil, não Haiti”, teria ouvido. Ele conseguiu fugir correndo, mas acabou perdendo a carteira na confusão.

Confira nota da OAB na íntegra

“A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS), por meio da Comissão de Direitos Humanos e de Igualdade Racial, vem a público manifestar que vai apurar a acusação de injúria racial sofrida por haitiano em Campo Grande e acompanhará as investigações.

Informações da mídia relataram que na saída do trabalho, na Praça Ary Coelho, o haitiano teria sido vítima de caso de injúria racial e agressão por guardas municipais.

A OAB/MS acompanhará as investigações cobrando a devida apuração do ocorrido”.

Veja também

Últimas notícias