Mulher que agrediu a mãe de 89 anos é proibida de se aproximar da vítima pela Justiça

Juiz ainda negou o pedido de prisão preventiva feito pela Polícia Civil
| 10/05/2022
- 17:58
Mulher que agrediu a mãe de 89 anos é proibida de se aproximar da vítima pela Justiça
(Foto: Reprodução/Vídeo)

A mulher flagrada agredindo a própria mãe de 89 anos no dia 1° de maio, em Corumbá, foi proibida pela Justiça de se aproximar da mãe e do irmão que filmou as agressões. O juiz Idail De Toni Filho, da 1ª Vara Criminal, negou pedido de preventiva por maus-tratos, feito pela Polícia Civil.

"Mesmo tratando-se de crime grave, por si só, não é fundamento idôneo para a decretação de prisão preventiva, ainda mais quando a investigada já compareceu na Delegacia para colaborar com a investigação", disse o juiz Idail na decisão.

Mas, o juiz concedeu medida cautelar que proíbe que a mulher se aproxime da e do irmão dela, que fez o flagrante da agressão. Ele deve manter a distância mínima de 100 metros, sob pena de decretação da prisão preventiva. A decisão saiu na última segunda-feira (9).

O filho da idosa disse ao Diário Corumbaense que a acusada não deixava os irmãos terem contato com a mãe. "Nós já tínhamos recebido informações de maus-tratos, consegui confirmar o fato e resgatar a nossa mãe", comentou. A idosa está agora na casa do filho, sob cuidados de familiares.

O caso

Uma mulher, de 57 anos, foi flagrada agredindo a própria mãe, de 89 anos, com tapas na cabeça. O vídeo foi gravado pelo irmão da acusada.

A mulher foi denunciada e levada para a Delegacia de Polícia e liberada horas depois. Ela teria retornado a casa do irmão e causado danos na porta. Para a polícia, ela alegou cuidar da mãe havia cinco anos e estava "exausta".

Ao ver as imagens da agressão, falou que pode ter se "excedido", pois "não dormia há muitas noites", justificou.

Veja também

Últimas notícias