Menino de 10 anos é perseguido e estuprado por pastor em Caps de Campo Grande

O homem trabalha no local como funcionário da limpeza
| 03/08/2022
- 15:44
Menino de 10 anos é perseguido e estuprado por pastor em Caps de Campo Grande
Caso é investigado pela Depca - Foto: Nathalia Alcântara/Midiamax

Nesta quarta-feira (3), caso de estupro de vulnerável mobilizou equipe da até um Caps (Centro de Assistência Psicossocial) de Campo Grande. Um funcionário da limpeza, que de acordo com a polícia também é pastor, seria o autor do crime.

De acordo com o registro policial, o pai do menino acionou a Polícia Militar, após o menino reclamar que o homem teria abusado dele na última segunda-feira (1º). O suspeito teria passado as mãos no órgão genital da , que ainda tentou correr.

Uma funcionária do Caps relatou aos policiais que o funcionário da limpeza teria encurralado a criança na frente do Centro, onde abusou do menino. A vítima ainda correu e se escondeu em uma sala, mas foi seguida e novamente foi abusada.

O pai ainda contou que só conseguiu avisar a polícia nesta quarta porque ainda na terça-feira o menino ficou muito nervoso com a situação. O funcionário acabou fugindo do Caps ao perceber a presença dos policiais militares e o caso foi encaminhado para a Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente).

Pastor é funcionário terceirizado

Em nota, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) esclareceu que o servidor é funcionário de empresa terceirizada e presta serviço de limpeza, portanto não tem vínculo empregatício direto com a Secretaria. O afastamento imediato foi solicitado à empresa.

Confira a nota

"A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) está ciente do ocorrido e está tomando todas as providências cabíveis. O acusado é funcionário de uma empresa terceirizada que presta serviço de limpeza, não tendo vínculo empregatício direto com a Secretaria.

Já foi solicitado à empresa o afastamento imediato e substituição do funcionário da unidade. A denúncia foi feita pelos próprios profissionais do CAPs, que identificaram a prática de abuso contra o paciente por parte do funcionário da empresa terceirizada, e os profissionais estão dando todo o apoio ao paciente e seus familiares.

A Sesau repudia todo e qualquer tipo de abuso e destaca que nos últimos anos houve ampliação das capacitações e adoção de protocolos para identificar e coibir este tipo de ocorrências no âmbito externo, além de promoção de ações e campanhas com o intuito de sensibilizar e mobilizar a comunidade para a denúncia de práticas de abuso e violência contra crianças e adolescentes. A Sesau reforça que irá acompanhar o andamento das investigações e condução do caso."

Veja também

Caso está em investigação após família procurar delegacia

Últimas notícias