Investigador de MS preso neste mês por porte ilegal de arma de fogo é afastado do cargo

Investigador foi preso em maio, em Aral Moreira
| 27/05/2022
- 09:55
Polícia
Divulgação

Por porte ilegal de de fogo, investigador do município de Aral Moreira foi afastado compulsoriamente do cargo. Ele foi preso em 23 de maio deste ano, conforme processo, mas já está em liberdade, após pagar fiança.

De acordo com a publicação no desta sexta-feira (27), o policial foi afastado pelo prazo em que perdurar a medida imposta pela justiça, determinando o recolhimento das armas, carteira funcional e demais pertences do patrimônio público destinados ao referido policial, além da suspensão de suas senhas e logins de acesso aos bancos de dados da instituição policial, suspensão de férias e avaliação para fins de promoção, caso tais medidas ainda não tenham sido adotadas, informando ao RH da Sejusp, para fins pertinentes.

Ainda conforme a publicação, o afastamento é retroativo à data da prisão dele, ou seja, em 23 de maio, data do cumprimento das medidas impostas e efetiva intimação do servidor.

Prisão

Consta nos autos que o investigador foi preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo. A Polícia Civil cumpriu mandado de busca e apreensão no município de Amambai, na casa do investigador, sendo encontradas duas caixas de munições calibre 38 na gaveta da escrivaninha do escritório do policial.

Além disso, foram encontradas munições de calibre 22 e 38 escondidas no armário da cozinha. A polícia também apreendeu celular, notebook e som automotivo. O mandado foi cumprido também na delegacia de Aral Moreira, onde o investigador prestava serviço.

Ele confirmou ser dono das munições estrangeiras. Foi dada voz de prisão ao investigador, mas ele pagou fiança de R$ 1.212,00 e foi posto em liberdade.

Veja também

As mercadorias e o veículo foram apreendidos e encaminhados a Receita Federal

Últimas notícias