Investigador da Polícia Civil preso em operação contra pedofilia em Campo Grande é demitido

Ele foi preso em 2018
| 22/02/2022
- 18:25
Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - (Arquivo, Midiamax)

Alvo da Operação Luz na Infância 2, em maio de 2018, investigador da de foi demitido, conforme publicação no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (22). O policial foi preso na operação contra crime de pedofilia.

Conforme a publicação assinada pelo secretário Antonio Carlos Videira, da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), a demissão foi fundamentada nas transgressões de “eximir-se ou negligenciar no cumprimento de suas obrigações funcionais” e “praticar atos que importe em escândalo ou que concorra para comprometer a instituição ou função policial”.

A publicação é datada de 21 de fevereiro de 2022 e a decisão foi tomada a partir do processo administrativo a que o investigador respondeu, após a prisão.

Luz na Infância

O investigador de polícia foi preso no dia 17 de maio de 2018, durante a Operação Luz na Infância 2, em Campo Grande. Em Mato Grosso do Sul foram cumpridos 9 mandados na ação, sendo 5 em Campo Grande, além de Dourados, Glória de Dourados e Naviraí, onde uma pessoa foi presa.

Em Dourados, um empresário foi preso depois de ser encontrada em sua casa e empresa materiais pornográficos com crianças e adolescentes. De todos os detidos, somente um desempregado, de 32 anos, foi liberado após pagar fiança de quatro salários mínimos. Ele foi preso na Chácara Cachoeira.

Primeira fase da operação

Em 2017 durante a primeira fase da operação deflagrada na Capital, um advogado de 64 anos e um vendedor de carros de 27 anos foram presos. Três mandados foram cumpridos na Capital, mas apenas duas prisões foram feitas.

A Operação aconteceu em todo o Brasil com o objetivo apreender computadores e dispositivos que continham o armazenamento de imagens e vídeos contendo crianças.

Veja também

Últimas notícias