‘Brigavam muito’, dizem vizinhos de Luciana, morta a facadas pelo marido em Campo Grande

Na casa havia um rastro de sangue do quarto até a cozinha, onde o corpo foi encontrado
| 02/08/2022
- 08:16
luciana
(Henrique Arakaki, Midiamax)

Vizinhos de Luciana de Carvalho, de 45 anos, morta a facadas pelo marido Inácio Pessoa Rodrigues, na Vila Silva Regina, em Campo Grande, contaram nesta terça-feira (2) ao Jornal Midiamax que o brigava muito, e que xingamentos vindos da residência deles eram frequentes. O autor foi preso quando passava na frente da casa, na noite de segunda-feira (1º).

Um faqueiro de 24 anos contou que estranhou muito as moscas que se acumulavam na casa. “Trabalhei muito tempo em fazenda e quando moscas se acumulam quer dizer carniça”, falou. O rapaz ainda contou que quando chegou em casa à tarde pediu para que o proprietário que alugava as edículas, tanto para ele como para o casal, fosse ver o que estava ocorrendo.  

Quando a casa de Luciana foi aberta, o corpo foi encontrado perto do botijão com muitas moscas pelo local. Na casa ainda havia um rastro de sangue que ia do quarto até a cozinha onde estava a vítima. Luciana foi assassinada no dia 28 de julho, e Inácio dormiu com o corpo por quatro dias até a sua prisão, nessa segunda (1º).

Vizinhos ainda relataram que Luciana morava em Corumbá e tinha vindo para Campo Grande após passar em um concurso para merendeira em uma creche. A casa havia sido alugada pelo casal em janeiro deste ano. 

Ainda segundo as testemunhas, por várias vezes Luciana corria pela rua pedindo por socorro após se agredida por Inácio. O autor já teria sido preso pelo menos quatro vezes, segundo os vizinhos. Após o crime, Inácio foi visto chegando à residência por volta das 2 horas da madrugada e saindo às 5 da manhã. 

Boletins de ocorrência

Um dos boletins de ocorrência foi registrado em fevereiro deste ano, quando Luciana relatou na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) que estava convivendo com o homem há cinco meses e que, após um churrasco, o casal começou a discutir por causa da venda de uma televisão.

Inácio, então, teria apertado o seu pescoço e dado tapas no seu rosto. O homem ainda teria xingado Luciana de ‘filha da p*’. Nesse dia, a vítima pediu por medidas protetivas e requereu que Inácio deixasse a residência do casal. 

Em março, Luciana acionou a polícia até a sua casa novamente contando aos policiais que estava em fase de e queria que o marido fosse para outro local. Na época, Inácio deixou a casa dizendo que iria dormir em outra residência. 

O feminicídio

Inácio matou Luciana com pelo menos quatro facadas e dormiu com o corpo por cerca de quatro dias. Sempre que saía da residência trancava a casa para que ninguém percebesse nada. O corpo foi encontrado em decomposição na cozinha.

Quando Inácio foi preso, o celular da vítima foi encontrado em seu bolso. Uma testemunha contou aos policiais que há dias Luciana não mantinha contato e que nos fundos de sua casa foi percebido um mau cheiro. Inácio foi preso quando passava de bicicleta pela frente da residência. Ele ainda tentou fugir, mas foi perseguido e detido a 300 metros do local.

Inácio disse que o crime aconteceu na noite do dia 28 de julho após uma discussão entre o casal.

Veja também

Mais de meia tonelada da droga foi encontrada em uma casa no Jardim Bonanza

Últimas notícias