Polícia

Técnico em informática se passa por funcionário e dá calote de R$ 9,6 mil em compras

Ele foi denunciado pelo MPMS por estelionato

None
Foto Ilustrativa

Técnico em informática morador na região do Jardim Botânico, em Campo Grande, responde ação penal por estelionato depois de se passar por funcionário e deixar R$ 9,6 mil de calote em uma loja de produtos agropecuários localizada na Rua Rui Barbosa. Os fatos ocorreram em maio de 2016 e foram investigados pela Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos).

Consta no inquérito policial que na ocasião do crime, uma empresária entrou em contato com a loja e solicitou vários produtos na ordem de R$ 4.385,00. A suspeita disse que um ‘rapaz’ passaria no local para buscar a encomenda. O técnico de informática então foi ao local e retirou rolos de cordoalha e esticadores de cordoalha, bem como assinou a nota promissória da compra.

Os vendedores chegaram a checar a documentação da empresária e da empresa que ela representava, porém, nada de irregular havia sido encontrado, motivo pelo qual a negociação foi concretizada. Acontece que, dias depois, foi feita uma segunda compra no valor de R$ 5.524,00, ocasião em que o técnico retirou rolos de arame, sacos de sal, de milho e uma pistola de vacinação.

Nenhuma das promissórias foi paga, motivo pelo qual a loja passou a acionar os envolvidos e descobriu que concorrentes haviam sido enganados da mesma forma. O caso foi levado ao conhecimento da Polícia Civil que, por sua vez, acionou a verdadeira empresária. Ao ser questionada, ela disse que havia comprado uma empresa de terceiros, mas que teve dificuldades e fechou seis meses depois.

Salientou ainda que não teve envolvimento em nenhuma negociação, motivo pelo qual a polícia constatou que os dados dela haviam sido vazados e vinham sendo utilizados por estelionatários. Diante dos fatos, somente o técnico foi indiciado neste procedimento e, consequentemente, foi denunciado pelo MPMS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul).

Jornal Midiamax