Polícia

Sete anos após atropelar e matar motociclista, ambulante será levado a júri em Campo Grande

Crime ocorreu em 2014, após desentendimento durante acidente de trânsito

Renan Nucci Publicado em 28/06/2021, às 17h20

None
Foto Ilustrativa

Depois de sete anos, a Justiça agendou para o dia 3 de agosto de 2021, às 8 horas, o julgamento do vendedor ambulante Ricardo André Rodrigues, acusado de perseguir, atropelar e matar o motociclista Lucas Silveira Leite Ortiz, após acidente de trânsito ocorrido no dia 16 de julho de 2014, em Campo Grande.

Conforme a denúncia oferecida pelo MPMS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul), na data dos fatos, Ricardo voltava da casa da sogra, junto com a esposa e filho, quando na Rua Catiguá, no Jardim Canguru, furou o sinal vermelho com seu carro e atingiu a motocicleta conduzida pela vítima.

Após a batida, houve uma discussão entre os condutores, ocasião em que Lucas teria dado um chute no carro de Ricardo, saindo logo em seguida. Ricardo então passou a perseguir o motociclista, até que conseguiu alcançá-lo. Em alta velocidade, atropelou Lucas que foi arrastado pela via e morreu no local.

“Frise-se que a o crime foi cometido por motivo fútil, pois ficou demonstrada a desproporção entre a causa, um desentendimento de trânsito, e o delito, um homicídio.Ainda, não bastasse o atropelamento, a vítima fora arrastada pela via em que trafegavam, e a brutalidade empregada foi tamanha, que o pára-choques do automóvel se desprendeu por completo do carro, restando clara a crueldade empregada pelo denunciado, para causar sofrimento desnecessário à vítima. Some-se a isso que o atropelamento se deu em uma perseguição, tendo o denunciado a intenção de surpreender a vítima, que estava de moto, impossibilitando sua defesa, atropelando-a com seu veículo”, lê-se na denúncia.

O processo tramita na 1ª Vara do Tribunal do Júri.

Jornal Midiamax