Polícia

Preso que fez arrastão em Celta disse que roubava para comprar cadeira de rodas

Ainda disse em depoimento que estava passando por dificuldades financeiras

Thatiana Melo Publicado em 13/05/2021, às 12h46

None
(Divulgação PM)

Quando preso junto de seu comparsa após fazer vários arrastões em bairros de Campo Grande, um dos bandidos disse que passou a cometer roubos de celulares pois passava por dificuldades financeiras. Os dois usavam um Chevrolet Celta de cor escura para cometer os crimes.

Já o simulacro que foi encontrado com ele para que junto do comparsa fizessem os assaltos, o autor afirmou ter conseguido em uma festa quando fazia bico de segurança, no bairro Moreninhas. Ele ainda falou que o dinheiro com os celulares roubados seria usado também para comprar uma cadeira de rodas.

Ele disse que no bairro Jardim Itamaracá foram três vítimas, sendo que também fizeram um arrastão no bairro Rita Vieira e outro no Nova Lima. Cerca de quatro celulares roubados pela dupla foram encontrados em uma sacola plástica em um terreno baldio.

O carro usado para cometer os roubos era do próprio bandido, que convidou o comparsa a quem havia conhecido há um mês. A prisão aconteceu pelas equipes do Batalhão de Choque, no bairro Nova Lima por volta das 21 horas de terça-feira (11).

Quando abordados nada de ilícito foi achado, mas perto do carro foi encontrado um simulacro que a bandido confessou ter jogado pela janela ao ver a viatura policial, e que a arma era usada para cometer os assaltos, que foram feitos em várias regiões da cidade. O autor ainda indicou o local onde havia escondido cerca de quatro aparelhos em uma sacola em um terreno baldio.

Ele ainda contou que um dos celulares foi repassado para seu patrão, que vendeu o celular por R$ 600 ficando com uma comissão de R$ 50. Dois acabaram presos e o prejuízo de R$ 14 mil.

Jornal Midiamax