Polícia

Presa por aplicar golpes em passageiros, ‘loira motorista’ ganha liberdade provisória

Ela ficou menos de um dia presa

Renata Portela Publicado em 17/06/2021, às 12h56

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa

Em audiência de custódia na manhã desta quinta-feira (17), foi definida a liberdade provisória da mulher de 34 anos, presa por estelionato após aplicar série de golpesem Campo Grande. Ela usava um carro alugado e aplicava os golpes fazendo corridas, passando valor superior ao da corrida na hora do pagamento.

Na audiência, a acusação pediu aplicação de medida cautelar diversa da prisão, como fiança. Após a prisão em flagrante, o delegado plantonista não aplicou fiança para a suspeita e representou pela prisão preventiva. Por ser crime sem violência ou grave ameaça, o juiz Alexandre Antunes da Silva entendeu ser caso de conceder a liberdade provisória.

Com isso, a ‘loira motorista’ foi liberada, devendo manter o endereço atualizado nos autos e também comparecer a todos os atos do processo. Ela não precisou pagar fiança e também não precisará usar tornozeleira para monitoramento.

Prisão em flagrante

A suspeita foi detida na noite de quarta-feira (16), em casa, no Piratininga. Ela chegou a dizer que estava arrependida dos golpes que aplicou em pelo menos três vítimas e ainda revelou que escolhia os alvos. Segundo a golpista, ela observava as pessoas que ficavam na rua olhando o fluxo de carros e também os que olhavam constantemente para o celular.

Tudo isso para identificar aquelas pessoas que estavam esperando motoristas de aplicativo. Na delegacia, ela afirmou que estava disposta a devolver os valores. A golpista agia oferecendo os serviços ‘por fora’. Em um dos casos, um casal de idosos aceitou a corrida que seria no valor de R$ 8 e ela aplicou golpe de R$ 1,2 mil, debitando este valor no pagamento.

A idosa de 71 anos e o marido estavam em frente a uma farmácia na Rua 15 de novembro, na região central, ocasião em que foram abordados por uma mulher loira e alta, que se apresentou como motorista de aplicativo e ofereceu uma viagem em seu veículo Sandero prata, por R$ 8. As características são as mesmas da motorista que agiu na data anterior.

O casal então embarcou e seguiu da 15 de novembro até a rua Marechal Rondon, no Amambai, onde após a corrida pagou R$ 8 pelo cartão, no débito. No entanto, mais tarde a idosa constatou que, na verdade, haviam sido debitados R$ 1.200 da conta. Na terça, uma mulher de 49 anos disse que por volta das 14 horas estava no centro da cidade e solicitou uma corrida.

Enquanto aguardava a chegada do motorista, a golpista se aproximou no veículo prata e ofereceu transporte, alegando praticidade. Em seguida, pegou o celular da vítima e cancelou a corrida que havia sido solicitada inicialmente. A passageira então embarcou na Rua 14 de julho, esquina com a rua Antônio Maria Coelho, e seguiu até o bairro Monte Castelo, onde mora.

Ao desembarcar, pagou no cartão o valor de R$ 8,03. Contudo, ao entrar em sua residência, recebeu uma mensagem do aplicativo do banco informando que foram descontados R$ 200 da conta dela.

Jornal Midiamax