Polícia

Pedreiro que matou e escondeu corpo em caçamba vai pagar R$ 15 mil de indenização

Ele assassinou o colega e ocultou o corpo

Renata Portela Publicado em 02/08/2021, às 17h07

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa

Foi condenado a 12 anos de prisão, mais pagamento de R$ 15 mil em indenização o pedreiro Luiz Eduardo Gomes Gondim, de 27 anos. Ele é acusado de assassinar e ocultar o corpo do colega de trabalho, José Nildo Mendes Ribeiro, 52 anos, crime cometido em 28 de agosto de 2020 em Camapuã, a 135 quilômetros de Campo Grande.

Conforme sentença assinada pelo juiz Fábio Henrique Calazans Ramos, da 1ª Vara da Comarca de Camapuã, a pena de Luiz Eduardo foi fixada em 12 anos de reclusão, com regime inicial fechado. Além disso, ele deverá pagar indenização por dano moral de R$ 15 mil, em favor de eventuais herdeiros da vítima.

Relembre o caso

Conforme denúncia oferecida pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), no dia 28 de agosto, por volta das 6 horas, na Escola Municipal Ernesto Solon Borges, o pedreiro matou José Nildo, ocultando, posteriormente, o cadáver.

Segundo apurado, o denunciado e a vítima eram funcionários de uma empreiteira e estavam trabalhando na reforma da escola, onde utilizavam uma das salas como alojamento. Na noite dos fatos, Luiz Eduardo passou a agredir fisicamente o colega pedreiro durante uma discussão, atingindo-o na face, na região posterior do crânio e no pescoço, utilizando diversos objetos como espátula, pincel, cabo de vassoura e um disco de corte, causando-lhe diversas lesões.

Posteriormente, utilizou um fio elétrico para asfixiar a vítima até a morte. Além disso, o denunciado limpou o sangue que havia na escola, bem como se dirigiu ao banheiro, ocultando o cadáver dentro de uma caçamba de entulhos, jogando areia por cima para que não fosse encontrado. No entanto, testemunhas acharam o corpo de acionaram a polícia.

Jornal Midiamax