Polícia

Paraguai desmonta centros de produção ilegal de óleo medicinal à base de maconha

Produtos eram fabricados sem qualquer fiscalização

Renan Nucci Publicado em 21/05/2021, às 15h00

Agente da Senad durante operação em central da produção ilegal
Agente da Senad durante operação em central da produção ilegal - Divulgação
[Colocar ALT]
Estufa onde ervas eram plantadas. Foto: Divulgação

A Senad (Secretaria Nacional Antidrogas), do Paraguai, desmontou nesta sexta-feira (21) um esquema de produção de medicamentos à base de maconha nas cidades de Luque e Areguá, localizadas na região de Assunção. O trabalho foi realizado no âmbito da Operação Green e resultou na apreensão de entorpecentes e vários produtos usados no preparo.

Segundo nota, os agentes da Senad realizaram extenso trabalho de investigação para identificar a localização dos centros de produção. Foi constatada a fabricação de óleo de cannabis da marca ‘Kokuesero’, vendido até por 250 mil guaranis cada, em descumprimento a uma série de leis de enfrentamento às drogas e de fiscalização sanitária no país vizinho.

A polícia foi informada a respeito de um grupo comercial que estava produzindo a erva para fins medicinais. Diante da suspeita, a equipe passou a investigar os pontos e conseguiram identificar uma empresa responsável, mas que não tinha autorização de órgãos competentes para operar. A firma se apresentava como um comércio de produtos agrícolas.

Ainda conforme a Senad, nos laboratórios encontrados em Areguá e Luque, foi notado que o óleo era fabricado sem nenhum critério farmacêutico, o que oferecia risco à população, tendo em vista que não havia nada que regulasse os índices do princípio ativo. As mercadorias foram apreendidas e os responsáveis serão acionados judicialmente. A Senad afirmou ainda que o Paraguai autoriza a produção de medicamentos à base de cannbis e, atualmente, 12 empresas do país estão cadastradas.

Jornal Midiamax