Polícia

Criança de 12 anos engravida após estupro do padrasto e mãe diz que é mentira

Homem pediu revogação da prisão, mas Justiça negou

Thatiana Melo Publicado em 21/05/2021, às 10h51

None
(Ilustrativa)

Uma menina de 12 anos acabou engravidando após ser estuprada sistematicamente pelo padrasto, um mecânico de refrigeração de 32 anos, em Campo Grande. A mãe ao saber dos abusos disse que a filha estava mentindo. Os estupros tiveram início em 2020.

O homem que está preso e espera pela audiência para junho de 2021 tentou a revogação de sua prisão preventiva que foi negada pela Justiça nesta sexta-feira (21) publicada em Diário da Justiça. Segundo consta os autos, os estupros começaram no início de 2020 perdurando até agosto do mesmo ano, quando a menina engravidou.

A vítima prestou depoimento especial, e disse que os estupros aconteciam na ausência da mãe, quando a mulher saia para trabalhar. A adolescente disse que o padrasto passava muito tempo em casa, já que fazia apenas ‘bicos’ e que tinha o costume de dormir pelado. Em uma das vezes, teve de entrar no quarto para levar o telefone para o homem atender, já que sua mãe queria falar com o autor e o flagrou sem roupas.

A criança relatou que o homem entrou no quarto dela e a estuprou. Assustada, ela correu para o banheiro e viu que estava sangrando. A menina ainda disse que contou para a sua mãe, mas a mulher falou que ela estava mentindo. Já em agosto de 2020, o padrasto novamente a estuprou. Durante o depoimento, ela relatou que foi sua tia que a levou até o médico para realizar exames, onde foi constatado que de fato estava gravida. A garota afirmou que era virgem antes dos abusos sofridos.

Quando preso e interrogado, ele disse que foi ‘seduzido’ pela enteada. Ele está preso aguardando pela audiência sobre o caso.

Jornal Midiamax