Polícia

Justiceiros: primos são executados com mais de 30 tiros na fronteira de MS

Um bilhete foi deixado ao lado dos corpos

Thatiana Melo Publicado em 02/08/2021, às 05h38

None

Robson Martines de Souza, de 21 anos, e seu primo Jeferson Martines de Souza, de 18, foram executados na noite deste domingo (1º), em Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, a 326 quilômetros de Campo Grande. Um bilhete assinado pelos ‘Justiceiros da Fronteira’ foi deixado ao lado dos corpos.

De acordo com o relato de testemunhas à Polícia Paraguaia a que o site Ponta Porã News teve acesso, os criminosos estavam em uma Hilux de cor escura quando atacaram os jovens. Foram feitos cerca de 30 disparos contra as vítimas, que chegaram a ser socorridas, mas não resistiram e morreram.

Um bilhete foi deixado ao lado das vítimas, onde dizia: “Nós justiceiros da fronteira, deixamos bem claro a todos, que não vamos permitir roubo na fronteira de gente trabalhadora”. 

No dia 26 de julho, Luis Mateo e sua namorada Anabel Ceturion foram executados em uma choperia, quando comemoravam aniversário. Ele estava jurado de morte e foi executado com mais de 40 tiros junto da namorada. Os atiradores estavam em uma camionete Hilux e, após a execução, um bilhete foi deixado junto ao corpo de Luís “Favor não roubar, assinado: “Justiceiros da Fronteira”.

No dia 28 de julho, os justiceiros fizeram mais uma vítima. Um adolescente de 17 anos foi torturado e assassinado em Pedro Juan Caballero, por um grupo que se denominou ‘os justiceiros’. O corpo foi encontrado em frente a uma casa no Bairro nova Cidade, também conhecido como Carolina 2. Informações são de que o garoto teria feito vários furtos na região, mas sem detalhes dos crimes cometidos pelo adolescente. A vítima foi encontrada com sinais de tortura, teve as mãos decepadas. Ao lado do corpo foi encontrado um bilhete.

Jornal Midiamax