Polícia

Juízes negam liberdade à mulher que matou amiga com 12 facadas após briga por ciúmes

Nesta quinta-feira (28), foi publicada no Diário da Justiça a negativa ao pedido de habeas corpus feito pela defesa de Valdicleia Izidoria Soares, 43 anos. Ela responde pelo homicídio de Mailda Firmina de Oliveira, de 55 anos, em Paranaíba, a 407 quilômetros de Campo Grande. O crime ocorreu em 28 de dezembro de 2020. A […]

Renata Portela Publicado em 28/01/2021, às 12h39

Vítima morreu no local (Reprodução, JPNews)
Vítima morreu no local (Reprodução, JPNews) - Vítima morreu no local (Reprodução, JPNews)

Nesta quinta-feira (28), foi publicada no Diário da Justiça a negativa ao pedido de habeas corpus feito pela defesa de Valdicleia Izidoria Soares, 43 anos. Ela responde pelo homicídio de Mailda Firmina de Oliveira, de 55 anos, em Paranaíba, a 407 quilômetros de Campo Grande. O crime ocorreu em 28 de dezembro de 2020.

A decisão é dos juízes da 1ª Câmara Criminal que, por unanimidade, denegaram a ordem. Segundo a publicação, é mantida da prisão de Valdicleia para manter a ordem pública, tendo em vista a gravidade e o modus operandi do crime. Isso evidenciaria também a periculosidade da autora, que matou a vítima com 12 facadas na cabeça, tórax, costas, abdômen e braço.

Relembre o caso

Segundo a Polícia Civil, o crime ocorreu logo no início da manhã do dia 28 de dezembro. Mailda e Valdicleia eram amigas há anos e inclusive os filhos estavam em um relacionamento. Dias antes, elas teriam tido uma discussão pelo telefone e trocaram xingamentos. Valdicleia teria dito ao marido escolher entre o casamento e o trabalho, alegando também que ele tinha um caso com Mailda.

O homem negou o caso extraconjugal, mas mesmo assim a vítima, em um acesso de raiva que teria sido provocado por ciúmes, acabou matando a amiga. Ela usou uma faca, com a qual deu pelo menos 12 golpes na vítima, que morreu no local. Valdicleia chegou a se esconder em uma propriedade rural, mas foi detida em flagrante.

Ela responde por homicídio qualificado pela traição, de emboscada ou mediante dissimulação ou outro recurso que torne impossível a defesa do ofendido. Também responde pelo homicídio qualificado por motivo fútil.

Jornal Midiamax