Polícia

Em meio à guerra de liminares, alunos da Polícia Civil de MS recebem só R$ 363 de bolsa

Guerra de liminares se arrastam desde dezembro de 2020

Thatiana Melo Publicado em 02/06/2021, às 07h48

None
(Ilustrativa)

Em meio à guerra de liminares de decisões para a reintegração ou não de candidatos às etapas de seleção do concurso de 2017 da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, alunos que fazem o curso de formação denunciam que após mais uma etapa de preparação só receberam o valor de R$ 363 de bolsa, segundo informado por vários membros do curso ao Jornal Midiamax

Um deles, que não quis se identificar, contou que quando o curso de formação se encerrou foi pago apenas o valor de R$ 363 sendo que o total da bolsa era de R$ 2.700.  O valor foi pago como se os alunos tivessem feito apenas cinco dias de curso. O curso se encerrou no dia 21 de maio deste ano.

Muitos dependem do valor da bolsa para se manter durante a formação do curso, e alunos estão preocupados com o não pagamento já que muitos dependem do dinheiro até para comer. Uma reunião teria sido feita com a promessa de pagamento. Mas não foi explicado os motivos pelo não pagamento da bolsa no valor integral aos alunos, segundo o policial. 

Briga judicial 

Problemas com alunos e tentativas de reintegração de aprovados no concurso da Polícia Civil já se arrastam desde dezembro de 2020, quando uma candidata conseguiu na Justiça derrubar uma liminar e poder participar do curso de formação.

No dia 31 de maio, em mais uma guerra de liminares ingressadas na Justiça foi proibido que dois candidatos participassem do curso de formação. Primeiro, o desembargador Nélio Stábile revogou e anulou decisão proferida no âmbito de um Incidente de Resolução de Demandas Repetitivas, que compila processos movidos por vários candidatos do concurso. Expedida em 7 de maio pelo desembargador Vilson Bertelli, a sentença havia restabelecido os efeitos das liminares concedidas em ações individuais, antes suspensas monocraticamente por Nélio Stábile e depois confirmadas em acórdão pela 2ª Câmara Cível.

Na prática, a determinação de Bertelli permitia que candidatos beneficiados por liminares fossem reintegrados às etapas do concurso. Estes participantes haviam recorrido à Justiça pois se sentiram prejudicados por suposto vazamento do texto da prova de digitação, ou por alegadas falhas nos computadores usados nesta mesma fase.

Stábile também neste mesmo âmbito suspendeu liminar que permitia a candidata que havia ganhado na Justiça, em dezembro, a participação no curso de formação. O concurso de 2017 da Polícia Civil resultou em 130 novos escrivães e 94 novos investigadores. A formatura foi realizada somente este ano.

O Jornal Midiamax entrou em contato com a Acadepol e assessoria da Polícia Civil para saber sobre o pagamento no dia 1º de maio, mas até a publicação desta matéria não obteve resposta. O espaço segue aberto para manifestação. 

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados.

Jornal Midiamax