Polícia

Dupla que matou PM da reserva para roubar camionete tem prisão mantida

Acusados confessaram o crime

Renata Portela Publicado em 26/07/2021, às 17h59

Camionete da vítima foi recuperada no Paraná
Camionete da vítima foi recuperada no Paraná - (Divulgação, PCMS)

Em audiência de custódia nesta segunda-feira (26), foi decretada a prisão preventiva dos dois rapazes, de 19 e 23 anos, presos pelo latrocínio que vitimou Jonas Rufino da Silva, de 54 anos. O policial militar da reserva foi morto em casa, em uma área de chácaras em Bataguassu, a 335 quilômetros de Campo Grande, no último sábado (24).

A decisão é do juiz Marcel Goulart Vieira, da 1ª Vara de Bataguassu. Conforme o magistrado, após análise dos fatos foi concluída necessidade de decretação da prisão preventiva. Isso, considerando que há provas da materialidade e também da autoria, uma vez que os criminosos confessaram e deram detalhes dos fatos.

Também é pontuado que a dupla não comprovou residência física ou emprego lícito e que tentaram fugir, sendo presos já em outro estado. “O crime praticado é de extrema gravidade e repugnância (...) causando abalo social significativo na comunidade local e acarretando risco à ordem pública, o que reclama uma providência imediata por parte das autoridades”, pontuou o juiz.

Assim, foi decretada prisão preventiva dos criminosos, que respondem pelo roubo qualificado, se da violência resulta morte.

Relato do crime

Conforme relato do acusado de 23 anos, ele conhecia Jonas porque já tinha feito serviços na região onde a vítima morava. Ele alegou para a Polícia Civil que estava passando por dificuldades financeiras e lembrou que Jonas tinha uma camionete, que poderia furtar e vender. No interrogatório, o rapaz pontuou que a intenção era apenas de furtar.

No entanto, ele foi até a casa da vítima armado com uma espingarda calibre 28, que tinha há alguns anos. Acompanhado do sobrinho, de 19 anos, o acusado ainda pegou o carro emprestado de um familiar para ir até a casa de Jonas. Quando chegou ao local, viu a camionete estacionada, mas não encontrou a vítima.

A dupla ainda aguardou aproximadamente 10 minutos, quando Jonas chegou em uma moto. O acusado anunciou o assalto, mas não portava a arma. A vítima não entendeu e, quando entendeu que se tratava de um roubo, saiu correndo para dentro da casa. Neste momento, o rapaz ordenou que o sobrinho buscasse a espingarda dentro do carro.

O rapaz de 23 anos disse ainda que achou que Jonas buscaria uma arma dentro da casa, por isso atirou. O tiro atingiu a nuca do policial, que morreu na hora. Os acusados, então, roubaram a camionete e também uma espingarda de Jonas e foram até a casa de um familiar, onde devolveram o carro. Depois, seguiram com a S10 da vítima até Nova Andradina, mas não conseguiram vender a camionete.

Assim, decidiram ir até Paranavaí (PR), onde venderam o veículo por R$ 15 mil. Após a venda, a dupla foi comprar passagens de ônibus e voltaria para Bataguassu, mas acabou presa em flagrante e a camionete foi apreendida.

Jornal Midiamax