Polícia

Dracco segue para investigar queda de avião que estava com certificado de navegalidade vencido

O avião bimotor Seneca, matrícula PT-RTP, caiu na tarde desta quarta-feira (8) em Aral Moreira

Diego Alves e Marcos Morandi Publicado em 08/12/2021, às 20h08

Aeronave estava com licença suspensa - Divulgação
Aeronave estava com licença suspensa - Divulgação

Policiais da Dracco ((Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado) seguem para a Aral Moreira, cidade a 375 quilômetros de Campo Grande, onde uma aerovane caiu nesta quarta-feira (08). "Fomos informados da queda da aeronave, a princípio é um Seneca que está com o certificado de navegalidade vencido, e nós estamos seguindo para lá para fazermos a perícia mais aprofundada e também entender as dinâmicas dos fatos ali", disse a delegada Ana Cláudia Medina da Dracco.

Queda

O avião bimotor Seneca, matrícula PT-RTP, caiu na tarde desta quarta-feira (8) em Aral Moreira. Há informações de que a aeronave tenha sido incendiada propositalmente. Peritos e policiais do Dracco estão seguem para o local.

De acordo com informações até agora apuradas, após a queda ou pouso forçado, houve alteração, inclusive vestígio de que um corpo, que pode ser do piloto, foi retirado da aeronave a arrastado e a carga retirada. Após a manobra, a aeronave aparentemente foi incendiada.

Fabricada em 1983, a aeronave pertence a uma mulher. Em situação a ser apurada, está impedida de voar, uma vez que seu certificado se encontra suspenso. Diante do que já foi levantando até o momento, a aeronave que deveria estar em São Paulo, acabou caindo na região de Aral Moreira, distante apenas 50 metros do Paraguai.

Jornal Midiamax