Polícia

Cunhado de rapaz executado nas Moreninhas sofre tentativa de homicídio por dupla em moto

Ele foi ferido a tiros e levado ao hospital

Renata Portela Publicado em 03/04/2021, às 08h05

Diego foi executado a tiros em um terreno
Diego foi executado a tiros em um terreno - (Foto: Danielle Errobidarte, Midiamax)

Na tarde de sexta-feira (2), homem de 31 anos foi vítima de tentativa de homicídio na Avenida dos Cafezais, região do Centro Oeste, em Campo Grande. Ferido a tiros, ele contou que é cunhado de Diego da Silva Magalhães, de 20 anos, executado nas Moreninhas no dia 24 de março.

Conforme o registro feito na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, Polícia Militar foi acionada por volta das 5h50 para ir até a Santa Casa verificar situação de uma vítima de disparo de arma de fogo. No local, encontraram o homem de 31 anos, que relatou os fatos.

Segundo a vítima, ela foi até o mercado na Avenida dos Cafezais e, ao chegar na frente do estabelecimento, dois homens em uma motocicleta preta apareceram. Um dos suspeitos era magro e alto e o outro aparentava ser adolescente, com tatuagens no braço.

O mais alto atirou duas vezes com o que seria uma pistola. A vítima foi atingida no ombro direito e no pé esquerdo e foi levada para a Santa Casa. Aos policiais, ele revelou que é cunhado de Diego e acredita que o crime tem relação com a execução do rapaz. O caso foi registrado como homicídio simples na forma tentada.

Execução

No dia 25 de março, Diego estava na companhia de um adolescente de 15 e voltava pela trilha, que seria usada como um atalho que fica aos fundos do Parque Jaques da Luz, depois de um jogo de futebol. A dupla parou no meio do caminho para procurar um chinelo que Diego havia perdido no meio do mato, quando os autores chegaram em uma moto.

O autor dos disparos desceu e colocou o capacete na testa, apontando a arma para Diego e o adolescente. Em seguida, o assassino mandou que Diego se ajoelhasse e depois que as vítimas corressem. Neste momento, o autor atirou, acertando as costas da vítima.

O adolescente ainda contou que depois que percebeu que estava abrigado viu quando o autor fez outro disparo na cabeça de Diego. O autor chegou a atirar contra o adolescente, mas não acertou. Dias após o crime, os autores se apresentaram na 4ª Delegaciae foram liberados. A arma usada foi apreendida, bem como a motocicleta.

De acordo com o delegado Nilson Friedrich, a mulher que forneceu a arma para Lailson Henrique dos Santos cometer o assassinato também foi ouvida, mas não deu detalhes dos depoimentos. O homicídio teria sido motivado por uma rixa entre autor e vítima.

Jornal Midiamax