Polícia

Comerciante que tentou matar a ex em MS disse que seria questão de tempo para ela morrer

Homem foi preso armado após ameaças, mas foi solto no dia seguinte

Renan Nucci Publicado em 21/04/2021, às 16h31

Vítima chegou a registrar boletim de ocorrência na Deam, em Campo Grande
Vítima chegou a registrar boletim de ocorrência na Deam, em Campo Grande - Arquivo

O homem que tentou matar a ex-mulher a tiros na noite de terça-feira (20), em Ribas do Rio Pardo, a 97 quilômetros de Campo Grande, chegou a ser preso com uma arma de fogo após ameaças contra a vítima. No entanto, foi solto por determinação judicial um dia depois. Desta forma, teve oportunidade de pôr em prática seu plano.

Entenda a história

A vítima, uma professora de 45 anos, e o autor, um comerciante de 51 anos, ficaram juntos por dois anos e seis meses. Contudo, a relação não deu certo e acabaram se separando. Em março deste ano, dois meses após o fim da união, a vítima procurou a Polícia Civil para relatar estar sendo alvo de ameaças e injúrias por parte do homem.

Segundo ela, ele não aceitava o fim e constantemente a perseguia, dizendo estar armado e que iria matá-la. “Vou te matar vagabunda, hoje, ou questão de tempo, mas você vai morrer”, teria dito. Assustada, ela chegou a sair da cidade e registrou boletim de ocorrência na Deam (Delegacia de Atendimento à Mulher) de Campo Grande.

Mesmo assim o agressor continuava a ameaçá-la. A Polícia Civil de Ribas tomou conhecimento dos fatos e foi em busca do autor. O homem foi abordado no dia 25 de março, na Avenida Aureliano Moura Brandão. Quando questionado, afirmou que tinham uma arma de fogo em casa, em frente ao Centro de Idosos do município.

Lá a equipe policial apreendeu uma carabina calibre 38 e deu voz de prisão em flagrante por ameaça e injúria, no âmbito da violência doméstica, bem como por posse irregular de arma de fogo. O flagrante então foi encaminhado ao poder judiciário, que o homologou e deferiu também medidas protetivas para a vítima.

O juiz Idail De Toni Filho, da comarca da cidade, apesar de deferir as medidas protetivas, ponderou que o autor, caso fosse condenado pelos crimes os quais foi indiciado, dificilmente ficaria preso em regime fechado para cumprimento de pena. Seguindo o Princípio da Homogeneidade, achou cabível que o homem respondesse em liberdade.

“Assim, mostra-se ofensivo ao Princípio da Homogeneidade manter o autuado preso antecipadamente, haja vista ser plausível antever que o início do cumprimento da reprimenda, em caso de eventual condenação, se daria em modo menos rigoroso que o fechado”, disse em sua decisão. Assim, o comerciante, preso no dia 25 de março, foi solto no dia 26, conforme alvará de soltura juntado aos autos do processo.

Tentativa de feminicídio

Beneficiado pela decisão judicial, o comerciante tentou matar a ex-companheira. Na noite desta terça, estava sentada na varanda de sua residência, em Ribas, quando foi surpreendida pelo homem. O autor chegou a pé e apontou a arma de fogo em direção à vítima. "Não corre", teria dito o homem.

A mulher se abaixou e quando começou a correr, o homem efetuou dois disparos que não a atingiram. Os projéteis acertaram o muro. Após a ação o homem fugiu.

Jornal Midiamax