Polícia

Cinco anos depois, ‘talarico’ que matou após amigo reprovar traições é absolvido

Alegação é de insuficiência de provas

Renata Portela Publicado em 04/08/2021, às 13h25

Acusado foi a júri 5 anos após o crime
Acusado foi a júri 5 anos após o crime - (Arquivo, Midiamax)

Foi a júri popular nesta quarta-feira (4), homem, de 27 anos, acusado do homicídio de Edimar Alves da Silva, 35 anos, em 20 de maio de 2016, no Jardim Monumento. O crime teria acontecido após Edimar dizer ao acusado que reprovava um relacionamento extraconjugal que ele tinha com a mulher de um amigo.

Segundo registro da sentença, proferida pelo juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do júri, Lucas foi denunciado e pronunciado pelo homicídio qualificado. Naquele dia 20 de maio, por volta das 11 horas, ele teria atirado contra Edimar na esquina da avenida Osvaldo Aranha com a rua Mainá.

Edimar não resistiu ao ferimento e morreu. Na época, a polícia identificou que o autor do crime teria agido por motivo torpe. Isso porque Edimar teria exposto opinião sobre uma relação extraconjugal que o suspeito mantinha com outra mulher, convivente de um amigo dele.

O Conselho de Sentença acabou absolvendo o acusado, por insuficiência de provas.

Jornal Midiamax