Polícia

Casal que tentou empréstimo de R$ 50 mil ao abrir conta bancária com documentação falsa é condenado

Penas devem ser cumpridas inicialmente em regime semiaberto

Renan Nucci Publicado em 08/06/2021, às 13h40

None
Foto Ilustrativa

O casal que tentou empréstimo de R$ 50 mil ao abrir conta bancária com documentação falsa, em Campo Grande, foi condenado. Conforme sentença proferida pelo juiz Olivar Augusto Roberti Coneglian, da 2ª Vara Criminal, as penas somam três anos. Além disso, a dupla também terá que arcar com todas as custas processuais, conforme decisão.

O homem foi condenado a 1 ano e quatro meses de prisão, mais 64 dias-multa com valor de um trigésimo do salário mínimo por cada dia. Por ser reincidente, deverá cumprir pena em regime semiaberto. A mulher foi condenada a 1 ano, 6 meses e 20 dias, mais 74 dias-multa, com valor unitário de um trigésimo do salário mínimo, também no semiaberto.

Consta nos autos do processo que no dia 17 de dezembro do ano passado, se passando por outras pessoas, o casal abriu uma conta e conseguiu retirar R$ 2 mil do limite especial. Diante do sucesso da primeira ação, eles retornaram mais tarde no mesmo dia na agência, na tentativa de um empréstimo de R$ 50 mil. No entanto, o atendente desconfiou.

O casal então voltou no dia seguinte, para dar continuidade às negociações sobre o empréstimo, ocasião em que houve abordagem da Polícia Militar, que já havia sido devidamente alertada sobre o golpe. A PM constatou que os documentos eram falsos e que o homem era foragido da prisão e a mulher estava em liberdade condicional.

Eles disseram ainda que estavam agindo a mando de uma terceira pessoa, não identificada. Consta ainda na denúncia que, ao perceber possível fraude, o bancário responsável pelo empréstimo ligou para a pessoa que seria a dona da documentação e a mesa alegou que estava sendo vítima de estelionatários, pois não havia autorizado nada em seu nome.

Foi então que o bancário informou os policiais. O casal foi preso em flagrante pela Polícia Militar, encaminhado para a delegacia, indiciado pela Polícia Civil e denunciado pelo MPMS. 

Jornal Midiamax