Capitão do Exército é detido e levado para a delegacia após agredir e tentar enforcar esposa

Um capitão da reserva do Exército de 56 anos de Campo Grande foi detido e levado para a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), na manhã desta quinta-feira (14) depois de agredir e tentar enforcar a esposa de 55 anos, no bairro Panamá. A mulher que chamou a polícia por volta das 7h30 da […]
| 14/01/2021
- 15:10
Capitão do Exército é detido e levado para a delegacia após agredir e tentar enforcar esposa
(Arquivo) - (Arquivo)

Um capitão da reserva do Exército de 56 anos de Campo Grande foi detido e levado para a (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), na manhã desta quinta-feira (14) depois de agredir e tentar enforcar a esposa de 55 anos, no bairro Panamá.

A mulher que chamou a polícia por volta das 7h30 da manhã desta quinta (14) contou que estava conversando com pedreiros sobre uma reforma na residência e ao entrar na casa foi surpreendida pelo marido que desferiu três tapas no seu rosto, e em seguida a atirou contra om sofá.

O militar passou a esganá-la e para se defender, a vítima passou a desferir socos contra a cabeça do marido, que acabou soltando-a. Quando os policiais questionaram o autor sobre as agressões, ele disse que perdeu a cabeça depois das provocações da esposa quando ele a questionou sobre o fato de estar conversando com outro homem.

Denuncie, não se cale!

Em Campo Grande, a Casa da Mulher Brasileira está localizada na Rua Brasília, s/n, no Jardim Imá, 24 horas por dia, inclusive aos finais de semana, para que as mulheres vítimas de violência não fiquem sozinhas, mesmo em tempos de .

Funcionam na Casa da Mulher Brasileira uma Delegacia Especializada; a Defensoria Pública; o Ministério Público; a Vara Judicial de Medidas Protetivas; atendimento social e psicológico; alojamento; espaço de cuidado das crianças – brinquedoteca; Patrulha Maria da Penha e Guarda Municipal. É possível ligar para 153.

Existem ainda dois números para contato: 180, que garante o anonimato de quem liga, e o 190. Importante lembrar que a Central de Atendimento à Mulher – 180 -, é um canal de atendimento telefônico, com foco no acolhimento, na orientação e no encaminhamento para os diversos serviços da rede de enfrentamento à violência contra as mulheres em todo o Brasil, mas não serve para emergências.

As ligações para o número 180 podem ser feitas por telefone móvel ou fixo, particular ou público. O serviço funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana, inclusive durante os finais de semana e feriados, já que a violência contra a mulher no Brasil é um problema sério no país.

Veja também

Últimas notícias