Polícia

Boliviano líder de grupo atuava no tráfico de cocaína é extraditado para o Brasil

Ele era conhecido como ‘peso pesado’ do tráfico

Renata Portela Publicado em 07/05/2021, às 14h37

Jesús, à esquerda, foi entregue para a Polícia Federal
Jesús, à esquerda, foi entregue para a Polícia Federal - (Foto: El Deber)

Na quarta-feira (5), Jesús Einar Lima Lobo Dorado, o ‘Pé Gordo’, foi extraditado para o Brasil por Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande. Preso em 2019, o narcotraficante apontado como liderança de clã familiar que traficava cocaína cumpriu um ano e meio de prisão domiciliar em Santa Cruz de la Sierra.

Na noite de quarta-feira foi montado forte esquema de segurança por parte da polícia boliviana, para que o acusado fosse levado até a fronteira com Corumbá. Jesús foi entregue à Polícia Federal pela ponte que liga os dois países, no Posto Esdras. A ação foi coordenada pelo comandante-geral da polícia boliviana em Puerto Quijarro, Jhonny Aguilera Montecinos.

Conforme o Diário Corumbaense, Jesús Einar é natural da cidade boliviana de Beni e apontado pela polícia como líder de um clã familiar, que mantinha vínculos com organizações dedicadas ao narcotráfico na Colômbia e no Brasil. Seu nome ganhou notoriedade em 2017, quando a Justiça brasileira solicitou sua extradição com “Selo Vermelho” pelo crime de tráfico internacional de drogas.

No entanto, Pé Gordo só foi preso em 28 de setembro de 2019, quando foi realizada uma operação em Villa Bonita, na área de Urubó, em Santa Cruz. Na época, o então ministro de Governo, Carlos Romero, o apresentou como um dos “pesos pesados” do tráfico de cocaína e "herdeiro" do conhecido traficante colombiano Célimo Andrade, parente de Pablo Escobar.

A polícia boliviana o classificou como o líder de uma organização que controlava o tráfico de drogas em toda a Amazônia. O domínio incluía áreas como San Joaquín, Santa Ana del Yacuma, Guayaramerín, Riberalta, Santa Cruz e até cidades dos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, no Brasil.

Os traficantes operavam com pequenos aviões em pistas clandestinas, além de outras rotas terrestres e fluviais.

Extradição

A ordem de extradição foi emitida em 12 de dezembro de 2019 pela Justiça da Bolívia, mas beneficiado por outras decisões, em setembro de 2020, Pé Gordo foi para prisão domiciliar e só agora a extradição ocorreu.

Jornal Midiamax