Polícia

Bando do PCC que roubava, traficava e lavava dinheiro em MS é condenado a mais de 163 anos de prisão

Grupo foi desarticulado pelo Gaeco durante a Operação Piromania

Renan Nucci Publicado em 18/06/2021, às 16h07

Suspeitos ostentando dinheiro obtido de forma criminosa
Suspeitos ostentando dinheiro obtido de forma criminosa - Reprodução

Integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital) acusados de assaltos, corrupção ativa, organização criminosa, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em Mato Grosso do Sul foram condenados pela 6ª Vara Criminal de Campo Grande. Conforme a sentença, as penas variam de quatro a 23 anos de prisão e, somadas, totalizam 163 anos, cinco meses e 16 dias.

O grupo foi desarticulado pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado), do MPMS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul), no âmbito da Operação Piromania, deflagrada em maio do ano passado. Durante as investigações, 13 autores foram presos em flagrante. 

Além disso, foram apreendidos 578,41 quilos de maconha, 5,27 quilos de cocaína e 5,59 quilos de pasta base de cocaína, bem como R$ 100 mil em espécie. Parte dos acusados tinha o hábito de, como forma de ostentação, gravar vídeos exibindo grande quantia em dinheiro obtida ilicitamente, bem como de queimar notas de reais de alto valor, razão pela qual a Operação recebeu o nome de “Piromania”.

Jornal Midiamax