Polícia

Após suspensão até 2059, Justiça retoma processo de homicídio em MS

Vítima foi morta com golpes de facão na cabeça

Renan Nucci Publicado em 22/06/2021, às 14h14

None
Foto Ilustrativa

A Justiça retomou o processo contra Anderson Marcolino Brandão, acusado do homicídio de Orlando Batista da Silva, morto com golpes de facão na cabeça em maio de 2019, em uma residência localizada no município de Juti, a 311 quilômetros de Campo Grande. Preso na cidade de Naviraí, o autor negou envolvimento no crime.

Consta nos autos do processo que inicialmente ele foi dado como foragido, motivo pelo qual foi citado por edital e não compareceu para responder às acusações, bem como não constituiu advogado. Neste sentido, o juízo do primeiro grau suspendeu o procedimento até 2059, quando em tese o homicídio seria prescrito.

No entanto, o mesmo foi preso em Naviraí e, ao tomar conhecimento, a Justiça retomou os atos recentemente. Segundo denúncia oferecida pelo MPMS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul), Orlando foi morto no dia 18 de maio de 2019, em uma casa localizada em frente ao lixão de Juti.

Informações são de que em uma desavença, Anderson teria o golpeado com um facão, matando-o. No entanto, o réu alega que o local seria a casa de seu tio e que estava lá para ajudar a ‘carnear’ um animal que havia sido dado à família. Disse ainda que o facão usado no crime, na verdade, era usado para cortar o animal.

Jornal Midiamax