Polícia

Após brigar por esposa ser apalpada, homem é espancado por 20 pessoas em conveniência de MS

Após questionar um homem que apalpou as nádegas de sua esposa, um homem de 24 anos foi espancado por vinte homens, quando comprava cervejas em uma conveniência de Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande, no início da noite desta sexta-feira (01). Além disso, o homem foi roubado e ameaçado de morte. O caso foi […]

Dayene Paz Publicado em 02/01/2021, às 13h21 - Atualizado em 03/01/2021, às 08h28

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Imagem ilustrativa

Após questionar um homem que apalpou as nádegas de sua esposa, um homem de 24 anos foi espancado por vinte homens, quando comprava cervejas em uma conveniência de Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande, no início da noite desta sexta-feira (01). Além disso, o homem foi roubado e ameaçado de morte. O caso foi registrado na 1ª Delegacia de Polícia Civil, como lesão corporal, ameaça e furto.

A vítima contou que estava na prainha do Porto Geral acompanhado da esposa, o filho e mais dois amigos, quando um homem conhecido como Wagner se aproximou da esposa da vítima e passou a mão na bunda dela. A vítima questionou o autor, que não respondeu e ficou rindo.

Em seguida, o homem e o amigo foram até uma conveniência para comprar cervejas, momento em que começou a ser agredido por aproximadamente vinte homens, que desferiram vários chutes, socos no rosto e por toda parte do corpo. Também atingiram a vítima com uma cadeirada nas costas. A vítima contou que ficou caída no chão se protegendo das agressões.

Os autores então arrancaram do seu pescoço uma corrente de ouro grossa e o ameaçaram de morte. “Hoje não deu pra gente matar você, mas espera que nós vamos matar você, vamos colocar fogo no seu carro (sic)”. As agressões só cessaram quando pessoas que estavam fora da conveniência interviram e ameaçaram chamar a Polícia Militar. Na delegacia, a polícia constatou que a vítima apresentava lesão no olho esquerdo, inchaço na testa e nuca, escoriações nas costas, ombros, braços e peito. O caso será investigado.

Jornal Midiamax