Polícia

Acusado de matar o ex da mãe com 32 facadas diz que foi ameaçado de morte

Ele ainda relatou que estava sozinho na casa na hora do crime

Renata Portela Publicado em 10/05/2021, às 13h24

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa

Após ser preso em flagrante pelo homicídio do ex-padrasto Wilson Ferreira Rocha, de 32 anos, o rapaz de 20 anos relatou que não cometeu o crime ao defender a mãe de agressões, conforme dito inicialmente. O caso aconteceu na madrugada de domingo (9) em Paranaíba, cidade que fica a 407 quilômetros de Campo Grande.

Em depoimento, o rapaz alegou que a mãe manteve relacionamento com Wilson e por várias vezes foi agredida e ameaçada por ele, inclusive solicitando medidas protetivas. Mesmo assim, o homem continuava procurando a mulher e ia várias vezes na casa dela.

Na madrugada de domingo, o rapaz estava sozinho em casa quando Wilson teria ido até o local, armado com uma faca, e feito ameaças. O rapaz contou que acabou também se armando com um facão e deu mais de 20 golpes no agressor. Mesmo vendo que Wilson já não tinha mais sinais vitais, o rapaz continuou com o esfaqueamento.

Depois, ele levou o corpo até um matagal e ainda tentou degolar a vítima. O rapaz voltou para a casa e no dia seguinte telefonou para a irmã, que mora em outra cidade. Ela o aconselhou a se entregar para a polícia e ele foi até a delegacia, onde confirmou o crime e revelou onde estava o corpo.

O caso é tratado como homicídio qualificado por motivo fútil, por dificultar a defesa do ofendido e ocultação de cadáver. Nesta segunda-feira (10), o juiz Edimilson Barbosa Ávila converteu a prisão em flagrante em prisão preventiva.

Jornal Midiamax