Polícia

1 mês: polícia continua buscas por assassino de professora morta a machadadas e pauladas

Filho de Telma estava na casa quando a mãe foi assassinada pelo ex-marido, que fugiu no carro da amiga a professora

Thatiana Melo Publicado em 11/05/2021, às 06h51

None
(Divulgação)

Nesta terça-feira (11) completa um mês que a professora Telma Ferreira Rabero de 44 anos foi assassinada a pauladas e machadadas em Sidrolândia, a 70 quilômetros de Campo Grande. A polícia ainda continua as buscas por Jadir Souza da Silva de 51 anos, que está foragido. O Departamento de Inteligência da Polícia Civil ajuda nas buscas. 

Segundo a delegada que cuida do caso, Thais Duarte, não se teve mais notícias de Jadir, que teria sido visto pela última vez, conforme relatos de populares, em um assentamento nas redondezas. Na época, policiais usaram cães farejadores, mas o suspeito não foi encontrado. Várias propriedades rurais foram ‘vasculhadas’ pelos policiais.

Ainda de acordo com a delegada, as buscas por ele continuam, a última vez que Jadir foi visto ele estava com uma mochila. "Ele estava com uma mochila preta grande nas costas, sentado. Era um meio-dia, comendo uma marmita. Como nunca tinha visto ele, eu prestei bem atenção", disse um boiadeiro de 23 anos que informou a polícia sob o suspeito. 

Telma foi assassinada em casa durante ato de extrema brutalidade, a machadadas e pauladas. O filho da professora de 10 anos estava na residência e ouviu os gritos de socorro da vítima. Uma vizinha também teria ouvido os gritos de socorro de Telma. Na fuga no dia do crime, o homem usou o carro de uma amiga de Telma para fugir. O carro foi encontrado horas depois abandonado.

A polícia pede para quem tiver informações sobre Jadir entrar em contato pelo telefone (67) 3272-9200 garantindo o sigilo da denúncia.

Jornal Midiamax