Polícia

Tio-avô flagrado estuprando menino de 3 anos permanecerá em prisão preventiva

Foi decretada prisão preventiva para o homem de 51 anos, preso em flagrante na tarde de segunda-feira (14) no São Conrado por estuprar o neto da irmã, um menino de 3 anos. Ele estava com a criança no colo quando foi flagrado e é suspeito de já ter cometido o crime anteriormente. O acusado passou […]

Renata Portela Publicado em 15/12/2020, às 10h24 - Atualizado às 15h29

None

Foi decretada prisão preventiva para o homem de 51 anos, preso em flagrante na tarde de segunda-feira (14) no São Conrado por estuprar o neto da irmã, um menino de 3 anos. Ele estava com a criança no colo quando foi flagrado e é suspeito de já ter cometido o crime anteriormente.

O acusado passou por audiência de custódia na manhã desta terça-feira (15). A decisão da juíza Eucélia Moreira Cassal foi de manter a prisão preventiva do homem, que responderá por estupro de vulnerável. O caso segue em investigação pela Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente).

A criança deve passar por depoimento especial, com acompanhamento psicológico e também por exames.

Entenda o caso

Segundo o relato da testemunha, a avó, o irmão ficou cuidando do menino para ela fazer uma faxina na casa de uma vizinha. No entanto, quando ela voltou deu falta do neto e foi procurar, quando o encontrou no quarto da casa do irmão, de 51 anos, que fica no mesmo terreno.

Quando entrou no cômodo, ela viu o menino com o short abaixado, sentado no colo do tio-avô, que segundo relato da mulher estava também com o short abaixado. A princípio a mulher diz que viu ele se masturbando nas costas da criança.

A avó logo pegou a criança e chamou a polícia, que fez a prisão em flagrante. O homem negou os fatos e deve passar por audiência de custódia nesta terça-feira (15). A avó ainda lembrou que o irmão já tinha tentado estuprar a mãe do menino, filha dela, quando era criança.

Também segundo a avó, no dia anterior ela reparou que o menino estava com o short ‘mexido’, acreditando que possa ter sido abusado em outras ocasiões pelo suspeito.

Jornal Midiamax